O procurador e coordenador da força-tarefa da Operação #Lava Jato, Deltan Dallagnol, apoiou a atitude do ministro do Supremo Tribunal Federal (#STF), Luiz Fux. O ministro emitiu uma decisão liminar determinando que o projeto das dez medidas de corrupção, aprovada pela Câmara dos Deputados, voltasse para ser analisada novamente.

Essa proposta teve o incentivo do Ministério Público Federal e conseguiu 2 milhões de assinaturas. A aprovação das medidas seria muito eficaz para os trabalhos da Lava Jato e combateria mais firme a corrupção no País. Porém, os parlamentares alteraram vários trechos e desfiguraram o projeto, enviando depois para o Senado.

Publicidade
Publicidade

O ministro não concordou com isso e pediu uma nova análise.

Deltan Dallagnol comentou a decisão do ministro Fux, dizendo que essa atitude devolve para milhões de brasileiros esperanças de um País melhor. Deltan parabenizou Fux através de seu perfil no Facebook. Ainda, de acordo com o procurador, a Câmara dos Deputados terá uma nova chance de redimir os erros que cometeu ao desfigurar as medidas tão importantes e necessárias para o povo brasileiro.

Críticas de Mendes

O ministro do STF, Gilmar Mendes, não gostou da ação tomada por Luiz Fux e rebateu irritado. Segundo Mendes, essa decisão deixa o "Supremo esquisito" e chegou a falar que logo o Congresso será fechado e a chave ficará nas mãos do procurador Deltan Dallagnol.

Fux afirmou que a sua decisão não se trata de interferência de um Poder no outro, mas a busca de seguir corretamente a Constituição Brasileira.

Publicidade

Esse tema será debatido na Corte no próximo ano.

"Comentarista"

Os juízes federais decidiram rebater as insinuações de Gilmar Mendes e sugeriram para ele, que ao invés de ser magistrado, que seja um comentarista, assim ele terá mais liberdade de expressão.

Mendes parece que vive momentos tensos e de grande estresse. Nas últimas semanas, ele também entrou em conflito com o ministro Marco Aurélio Melo, depois que Melo decretou uma liminar pedindo o afastamento do cargo do presidente do Senado Renan Calheiros. De acordo com Mendes, foi uma decisão equivocada de Melo e que passou por cima de todos os outros ministros. #DeltanDallagnol