Segundo o jornalista Bernardo Mello Franco, colunista da Folha de São Paulo, dois deputados estão acusando o Planalto de travar uma emenda constitucional.

O deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) apresentou um texto desde 1º de junho na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Segundo Miro, o presidente da Comissão de Constituição, Osmar Serraglio, por conhecimento da própria Casa Civil, teve de travar a emenda sobre diretas.

Segundo a Folha de São Paulo, o deputado que relatou a proposta, Espiridião Amim (PP-SC), contou que o presidente da CCJ, Osmar Serraglio está sob pressão da Casa Civil para não votar na emenda, eles usam o argumento que o Presidente Michel Temer teria o governo em ruínas, mais do que já estar, caso a proposta siga em frente.

Publicidade
Publicidade

Amim informou que pediu que a emenda fosse pautada para a votação, já que o texto precisa ser votado em plenário. Mas, de acordo com o relator, o Deputado Osmar Serraglio voltou atrás e disse que o Brasil não suportará uma eleição indireta. ”

A ironia é que tanto Miro, quanto Amim votaram a favor do Impeachment.

O Golpe sobre outro golpe

Caso o presidente e o vice sejam afastados após dois anos de mandato, a constituição é clara: eleições indiretas. Nesse caso, o Congresso escolheria o presidente se Temer for afastado ou renuncie em 2017. Segundo o jornalista, Renato Rovai, editor da Revista Fórum, há grandes possibilidades da renúncia acontecer.

“O que o faz tentar se agarrar ao cargo de qualquer forma é a manutenção do foro privilegiado. Não só dele, mas de muitos de seus atuais ministros.

Publicidade

Eles sabem que abrir mão disso agora pode levá-los a ter de forma rápida o futuro de Sérgio Cabral”, afirma o jornalista. Segundo Renato, o atual presidente já está ciente de um provável golpe sobre o golpe.

Impeachment

O presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, pediu, ontem, que o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) julgue a decisão do Ministro Marco Aurélio que determinou a instalação de uma comissão destinada a analisar o #Impeachment do presidente da República, Michel Temer. #MichelTemer #eleiçõesdiretas