#Dilma Rousseff recebeu, na última semana, o título de doutor honoris causa na Argentina e não perdeu a oportunidade de criticar, mais uma vez, o governo de Michel #Temer. Ela voltou a dizer que a melhor saída para a atual crise brasileira é a realização de eleições diretas.

Ao mesmo tempo, Dilma amenizou a possibilidade de Temer renunciar e avalia que isso só teria efeito prático se fosse antes de 1° de janeiro. O presidente é alvo de uma ação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre irregularidades na campanha de 2014, mas o órgão só deve julgar a ação no primeiro semestre do ano que vem.

"TSE está em recesso, acabou o prazo este ano.

Publicidade
Publicidade

Eles não julgaram e nem estava previsto entre os golpistas tirar o Temer este ano. Porque assim seria eleições diretas para presidente. Depois de 1° de janeiro, é indireta. A crise no Brasil só se resolve com eleições diretas", opinou Dilma.

A petista lamentou a possibilidade do Congresso Nacional escolher um novo sucessor no cargo de presidente. Em sua análise, isso seria um "golpe dentro do golpe". Ela também criticou a PEC dos Gastos Públicos e disse que o povo deveria participar de decisões como essa e como a reforma da previdência.

"Essa questão exige eleição direta e participação popular. O povo jamais votou por um congelamento de 20 anos nos gastos em saúde, segurança, ciência e tecnologia", disse.