O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio #Lula da Silva, está "farejando" uma grande traição no meio político. Em conversas privadas, Lula demonstrou certeza e afirmou que o presidente do Brasil, Michel Temer, não irá concluir seu mandato por um motivo de traição. De acordo com Lula, o PSDB, hoje grande aliado do governo, possui planos de voltar com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao poder e para isso trairá o PMDB. Ainda segundo o ex-presidente, serão feita eleição indireta com o apoio do Congresso e uma grande manobra será feita para FHC assumir a presidência.

O artigo 81 da Constituição define bem esse caso. Se houver vacância da Presidência nos últimos anos do mandato, far-se-á eleição indireta, comandada pelo Congresso Nacional.

Publicidade
Publicidade

Dilma Rousseff

Durante um almoço com a ex-presidente #Dilma Rousseff, Lula explicou as suas previsões e disse que não demorará muito para #Temer ser "derrubado' do cargo. O ex-presidente deu o ano de 2017 para isso acontecer. Lula falou para Dilma que o tucanato vai agir de uma forma que a volta de FHC trará paz ao Brasil e será um antídoto contra a crise.

Após conversa com Lula, Dilma começou a encarar essa realidade e está divulgando, em diálogos também privados, essa possível traição tucana. Em tom irônico, Dilma disse que Michel Temer "provará do seu próprio veneno". Para a ex-presidente, em breve acontecerá no país um "golpe dentro do golpe".

Declaração de Sarney

Essa conversa entre Lula e Dilma chegou aos ouvidos do ex-presidente José Sarney através de uma pessoa próxima da ex-presidente, que além de participar do seu ministério, esteve ao seu lado durante todo o processo de impeachment.

Publicidade

Ao ouvir essas informações de traição, José Sarney declarou: "O Fernando Henrique Cardoso não pensa em outra coisa".

Por enquanto, o presidente do Brasil está conseguindo manter seus aliados firmes para as prioridades do governo. A volta de Renan para a Presidência do Senado é uma prova de que o governo ainda mantem a base aliada disposta a mudar a crise política instalada no Brasil.