Em entrevista ao Estadão, o ex-presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso (#FHC), falou de vários assuntos que movimentam a política brasileira. De acordo com FHC, o ex-presidente #Lula usou um jogo de palavras irreais ao falar sobre a possível volta dele (FHC) à Presidência da República.

Lula havia dito na semana passada, em conversa reservada com a ex-presidente Dilma Rousseff, que em breve, o presidente Michel #Temer seria surpreendido com uma grande traição dos tucanos. Lula falou que o PSDB irá "puxar o tapete" de Temer, pois a intenção deles é apenas voltarem ao poder. Nesta mesma conversa, Dilma teria usado um tom irônico para falar que "Temer provará do próprio veneno. Será golpe contra golpe".

FHC ficou indignado com essas especulações de que ele está pensando em ser presidente e rebateu: "Lula não me conhece".

Publicidade
Publicidade

Segundo FHC, enquanto existe uma grande preocupação dele com o Brasil, Lula só pensa em campanha. "O candidato permanente aqui é ele, não eu", ressaltou FHC.

Cardoso afirmou que essa hipótese de presidência agora, não é boa para o Brasil, que ainda vive em meio à crises diárias.

Dificuldade

O ex-presidente também revelou que o correto seriam todos se unirem para que o Brasil volte a ganhar forças, mas existem mentalidades atrasadas que só querem o pior para o País. FHC contou que várias pessoas o indagaram porque que ele não conversa com o ex-presidente Lula para pensarem em algo positivo para o País. DE acordo com FHC, a conversa poderia ser boa, mas Lula não toparia porque o PT tem uma visão hegemônica e quer impor algo e não dialogar. "Agora, confesso que é difícil falar com Lula, pois primeiro ele tem que responder sobre suas ações que são questionadas na Justiça", disse Cardoso.

Publicidade

Movimentos das ruas

Cardoso também comentou sobre o movimento nas ruas. Ele disse que as pessoas estão cansadas da corrupção e querem punição severa aos criminosos. Mas tem muita coisa por trás de tudo isso. Um dos exemplos é o presidente do Senado, Renan Calheiros. Todos queriam a saída de Renan, mas, quase ninguém sabia que o vice de Renan era um petista, comentou FHC.