Nessa terça-feira (27), os agentes da #Polícia Federal cumpriram uma ação decretada pela Justiça para que fossem investigadas as gráficas utilizadas pela chapa Dilma Rousseff/Michel Temer nas eleições presidenciais em 2014. A intenção dos investigadores da PF é, de fato, confirmar se as gráficas contratadas pela chapa tinham realmente a capacidade de fornecer todo o extenso material de campanha contratados por Dilma e Temer.

Os alvos de hoje foram as gráficas Red Seg Gráfica, a Focal Confecção e Comunicação Visual e a Gráficas VTPB, além dessa minuciosa investigação que passaram hoje, as três gráficas também tiveram seus sigilos bancários quebrados em outubro desse ano, após mandado judicial.

Publicidade
Publicidade

Nessa quebra de sigilo, a Justiça encontrou problemas na emissão de notas fiscais, além disso, ainda foram encontradas subcontratações de outras empresas para que fossem realizados os serviços pedidos por Dilma e Temer.

Empresas subcontratadas

Essas empresas subcontratadas também foram alvo da operação de busca e apreensão feita hoje pela Polícia Federal. De acordo com reportagem do site da Jovem Pan, cerca de 20 endereços foram visitados hoje por agentes da Polícia Federal. Os endereços não foram divulgados, porém, existem empresas subcontratadas das três gráficas, citadas acima, em três estados: Santa Catarina, Minas Gerais e São Paulo.

Denúncia foi feita pelo PSDB

A denúncia que resultou na operação de busca e apreensão foi proposta ao Ministério Público pelo partido que ocupa na atualidade aliança com o governo peemedebista de #Michel Temer, o PSDB.

Publicidade

A denúncia dos tucanos foi feita, logo após a reeleição de Dilma Rousseff em 2014.

Nesse imbróglio judicial o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) também recebeu visitas nessa terça-feira da Polícia Federal. O âmbito da investigação no Tribunal Superior Eleitoral se deu devido a supostos casos de abuso de poder econômico e político ocorridos durante a campanha presidencial elaboradas por petistas e peemedebistas em 2014.

Cassação da chapa Dilma/Temer

Todas as investigações iniciadas hoje podem resultar na cassação da chapa Dilma/Temer o que resultaria em novas eleições, porém, as eleições seriam feitas de forma indireta, conforme determina a Constituição Federal. Eleições que seriam feitas somente por parlamentares no Congresso Nacional (que ficariam responsáveis pela escolha de um novo presidente), já que, após três anos, se transcorreu mais da metade do mandato presidencial da chapa Dilma/Temer. #cassação de mandato