O presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe) foi enfático em sua defesa do juiz Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava-Jato, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná. Roberto Veloso explicitou todas as preocupações dos juízes federais, com relação às tentativas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus advogados de defesa, em tentar "desqualificar" o juiz Sérgio Moro. O presidente da Ajufe, Roberto Veloso, rebateu de modo veemente nesta terça-feira (13), o que ele próprio classificou de "ataques" da defesa de #Lula ao juiz paranaense, que comanda a maior operação de combate à #Corrupção no Brasil e responsável pelas investigações que apuram desvios bilionários dos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras.

Publicidade
Publicidade

Processos contra Lula

Na última segunda-feira (12), um dos defensores do ex-presidente Lula "bateu boca" com o juiz Sérgio Moro. O magistrado, então, naquele momento, exigiu respeito por parte do defensor de Lula, que estava agindo de modo inconveniente. Segundo o presidente da Associação dos Juízes Federais, "o que ocorreu na segunda-feira, durante audiência em Curitiba, faz parte de uma estratégia utilizada de forma deliberada da defesa do ex-presidente Lula, de tentar retirar o juiz Sérgio Moro, da condução dos trabalhos da Operação Lava-Jato", ressaltou o presidente da entidade. Ainda segundo Roberto Veloso, esta tentativa desesperada, "demonstra a total ausência de argumentos na desconstituição de provas que foram juntadas nos autos do processo pelo Ministério Público Federal", afirmou.

Publicidade

Ainda segundo o magistrado que preside a Ajufe, "o juiz Sergio Moro tem dado um claro exemplo ao Brasil, de que é possível enfrentar toda a corrupção com honradez e destemor", em alusão ao trabalho desempenhado pelo juiz da Lava-Jato. Veloso assegurou ainda o apoio total dos juízes federais ao juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava-Jato.

O atrito entre o defensor de Lula, advogado Juarez Cirino, e o juiz Moro, se deu a partir do processo que trata sobre tríplex do Guarujá, que é atribuído ao ex-presidente da República, segundo as investigações e evidências juntadas ao processo. Lula é acusado pela Procuradoria da República, pelo recebimento da quantia de R$ 3,7 milhões, através de propinas da empreiteira OAS. O petista nega de modo taxativo as acusações refente aos crimes a ele atribuídos. Lula responde pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. #Lava Jato