O ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, prestou depoimento como testemunha de defesa do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no fim da tarde desta quarta-feira, 30 de novembro.

Eduardo Cunha responde a processo por corrupção e lavagem de dinheiro. Lula também é réu em processo na 13ª Vara Federal de Curitiba, conduzida pelo juiz #Sergio Moro, mas não se trata do mesmo do ex-deputado.

Esta foi a primeira vez que o petista e o juiz federal Sergio Moro, que julga as ações da Operação Lava Jato, se encontraram. O depoimento foi realizado por meio de videoconferência, já que o ex-presidente se encontrava em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, e o juiz em Curitiba, capital do estado do Paraná.

Publicidade
Publicidade

No depoimento, Lula disse que foi informado pelos seus advogados que tinha o direito de ficar em silêncio, mas que, no entanto, fazia questão de responder. "O maior interessado na verdade sou eu”, disse ele.

Como de praxe em audiências, Moro advertiu Lula que, de acordo com o Código Penal, se mentisse em seu depoimento, ele poderia responder a um processo criminal por conta disso. Moro também informou que o petista poderia ficar em silêncio se houvesse alguma pergunta que pudesse prejudicá-lo na ação proposta pelo Ministério Público Federal contra ele.

Lula foi indagado pela defesa de Eduardo Cunha sobre as nomeações para a diretoria da Petrobras dos engenheiros Nestor Cerveró e Jorge Zelada. O ex-presidente disse desconhecer a suposta participação de Cunha na nomeação de Zelada para a diretoria Internacional da Petrobras e na compra do campo de petróleo de Benin, localizado na África.

Publicidade

Ao ser perguntado pelo Ministério Público Federal sobre quais os partidos que participavam da indicação de cargos na Petrobras, Lula respondeu: “Veja, todos os partidos que compuseram a base do governo. Eu já expliquei mais que uma vez que quando um partido compõe uma aliança política para governar, todos os partidos que compõem podem reivindicar ministério, podem reivindicar cargo. Esses partidos, então, fazem parte do governo. Era assim que era montado antes, durante e depois. É assim que é montado agora”.

#Lava Jato