O pastor Silas Malafaia utilizou o Twitter para criticar o deputado federal Eduardo Bolsonaro pela devolução (através de uma ação judicial do deputado) das “10 Medidas contra a #Corrupção para o Senado. Bolsonaro acusou o Congresso de transformar um projeto de iniciativa popular em uma lei para colocar medo em juízes e procuradores da Operação Lava Jato. Ainda não se sabe por que a medida incomodou tanto o pastor Silas #Malafaia, mas muitos de seus seguidores estranharam sua reação. Segundo Malafaia, a medida foi "covarde e oportunista". Seguem os prints das postagens.

Entendendo o caso Malafaia x Bolsonaro

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, ordenou na última quarta que o projeto contra a corrupção enviado para o Senado no último dia 30 de novembro deveria voltar para a Câmara dos Deputados para melhor debater sobre o assunto e, consequentemente, fazer nova votação.

Publicidade
Publicidade

Fux atendeu o mandado de segurança solicitado por Eduardo Bolsonaro no dia 2 de dezembro, em que pedia o cancelamento da votação do projeto. A solicitação do deputado mencionava a transfiguração do projeto inicial, principalmente a parte que falava sobre o abuso de autoridade e a tentativa de votação em caráter de urgência no Senado logo no dia seguinte à aprovação na Câmara.

Em contrapartida, o pastor Malafaia foi alvo de condução coercitiva na operação Timóteo - referência à uma passagem bíblica sobre enriquecimento. A Polícia Federal deflagrou ações no Distrito Federal e em mais 11 estados nesta sexta, 16.

A investigação está de olho num esquema de corrupção em cobranças de royalties de exploração de minérios e Malafaia já se tornou um suspeito por supostamente ajudar na lavagem de dinheiro do tal esquema, já que recebeu quantias do mais importante escritório de advocacia investigado na operação.

Publicidade

A suspeita a ser esclarecida pelos policiais é que o pastor pode ter “cedido” algumas de suas contas pertencentes a algumas de suas igrejas com a intenção de esconder a origem criminosa das quantias.