Bispo licenciado da Igreja Universal e prefeito eleito no Rio de Janeiro, #Marcelo Crivella (PRB) usou sua página no Facebook para postar um vídeo em defesa do pastor #Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, que foi levado para depor coercitivamente, nesta sexta-feira, na sede da Polícia Federal, em São Paulo.

Malafaia é um dos alvos Operação Timóteo – ironicamente, o nome de um dos livros escritos pelo apóstolo Paulo na Bíblia Sagrada –, que investiga esquemas de corrupção em cobranças de royalties de exploração mineral. O pastor apoiou Crivella na disputa pela prefeitura do Rio de Janeiro.

Defesa de Marcelo Crivella

O prefeito eleito no Rio de Janeiro postou um vídeo em que defende Silas Malafaia.

Publicidade
Publicidade

“Lamentei profundamente a operação da Polícia Federal, que cometeu uma injustiça com o pastor Silas Malafaia”, diz a descrição da postagem curtida por quase cinco mil pessoas, compartilhada por mais de mil e vista por mais de 60 mil pessoas em duas horas no ar.

“Silas Malafaia é um homem de bem, que foi vítima de bandidos que operavam no Departamento Nacional de Pesquisa Mineral. O pastor Malafaia foi vítima, recebeu uma oferta de uma empresa que estava envolvida em um crime”, diz Crivella.

Para o bispo licenciado da Igreja Universal do Reino do Deus, Malafaia foi vítima de um crime e também do preconceito que existe contra os evangélicos. “Isso, no fundo, é preconceito contra nós, evangélicos”, afirmou no vídeo de pouco menos de um minuto.

Comentários

Os comentários na postagem de Crivella se dividiam entre os que o apoiavam e os que criticavam a fala do prefeito eleito do Rio de Janeiro.

Publicidade

“A indignação do Pr. Silas foi porque não recebeu nenhuma intimação e foi levado pra depor, achei estranho também, se for culpado que pague mas se ele não tiver nada de envolvimento em corrupção aí tem que processar também o abuso de autoridade por jogar o nome dele na lama”, postou uma seguidora de Crivella.

“Pelo amor de Deus, não proteja ninguém. Pode sobrar para o senhor”, disse outra. “Vai cuidar dos seus problemas que virão com uma prefeitura quebrada a partir de janeiro e deixa a PF trabalhar em paz, apaga que dá tempo”, pediu um terceiro. #Polêmica