O Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior criou um novo conceito para o trabalho, o programa Teletrabalho é uma nova forma que #servidores públicos poderão utilizar para trabalhar. O programa consiste em simplesmente realizar tarefas, antes feitas em escritório, agora no conforto da casa dos servidores. Duas pessoas já notificaram que irão morar fora do Brasil, mas continuarão trabalhando como servidor público brasileiro.

Empresas privadas já adotaram esse método que consiste em trabalhar cumprindo metas pré estabelecidas e ganhos segundo a produtividade do trabalhador, o que chamou atenção é que esse programa é voltado para funcionários públicos, podendo assim, abrir caminhos para que aconteça "fraudes", algo "comum" no setor público brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Supostamente pessoas poderão conseguir esse cargo por terem alianças com poderosos e serem "apadrinhadas", isso poderia envolver políticos e membros de suas famílias. As regras estabelecidas para os servidores é que não será mais necessário "bater o ponto", sendo assim, não será preciso registrar o momento em que entra e que saí do trabalho. O Ministério do Desenvolvimento também está barrado de exigir que os servidores estejam presentes no local mais de duas vezes por mês.

Servidores públicos

Nessas últimas semanas houve casos na mídia envolvendo os servidores públicos de estados como Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Em Minas, o governador do estado anunciou que para este final de ano, irá mudar a forma como os servidores receberão o décimo terceiro salário, A Secretaria do Planejamento e Gestão de Minas avaliou que os funcionários irão receber a primeira parte do benefício em 22 de dezembro e a segunda parte em 24 de janeiro, independente de quanto cada funcionário público ganha.

Publicidade

O motivo para a divisão do décimo terceiro salário é por causa da situação financeira do estado que atualmente declarou falência, logo após Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também decretarem estado de calamidade financeira. O sindicato dos funcionários públicos acredita que a decisão do #Governo é absurda e prejudica funcionários que recebem até R$ 2.000,00. #Corrupção