Marco Aurélio Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal (#STF), deixou nas mãos da presidente da Corte, Carmem Lúcia, a decisão de prosseguir com o pedido de #Impeachment do presidente Michel Temer, que está parado desde maio. Mello enviou um ofício à presidente do STF na última terça-feira para informar que está pronto para relatar a ação que abriria comissão especial do processo de impedimento de Temer.

A inserção da ação do possível novo impeachment na pauta do plenário do Supremo compete à ministra Carmem Lúcia. Mello, em seu despacho, lembrou que está pronto para relatar a matéria em plenário desde maio.

O pedido de impeachment contra Temer foi efetuado em dezembro de 2015, quando Dilma Rousseff ainda era a presidente do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Feita por um advogado mineiro, a demanda argumentava que o peemedebista tinha cometido os mesmos crimes de responsabilidade contra a ordem orçamentária do país que derrubaram Dilma em agosto desse ano. Eduardo Cunha, presidente da Câmara na época, não acatou.

Mello, na semana passada, cobrou do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia, agilidade na instalação da comissão do impeachment. Em comunicado, Maia disse que conta com o apoio do ministro para levar a matéria ao plenário do STF "o mais rápido possível". Como o Supremo entra em recesso no dia 20, a tendência é que a pauta fique para o ano que vem. #Michel Temer