Uma fotografia um tanto especulativa foi revelada na terça-feira (06) pelo profissional do jornal Estado de S. Paulo, Jales Valquer. A imagem foi A gota d'água para que os desafetos do juiz tirassem conclusões da parcialidade de Sérgio Moro.

Entenda o ocorrido

O click mais comentado do momento foi quando o juiz paranaense aguardava para ser premiado como o Brasileiro do Ano na Justiça. A homenagem é realizada todo ano com a eleição do brasileiro que mais se destacou no âmbito da Justiça.

A causa de tanto alvoroço se deu em virtude da proximidade de Moro com o senador Aécio Neves. Além do peessedebista, estavam presentes outros políticos, inclusive, o presidente Michel Temer.

Publicidade
Publicidade

Segundo a publicação do site jornalístico "Gazetadopovo", Moro estava muito descontraído com o peessedebista, o que viabilizou os comentários e insinuações de certa "intimidade", com o parlamentar. Rapidamente, a notícia 'viralizou' na internet com a publicação completa, daquela amizade.

Sérgio Moro estava na Universidade de Heildeberg, na Alemanha, quando tomou ciência da repercussão do acontecido e logo se posicionou, ressaltando que o evento tem caráter público e o senador mineiro Aécio Neves, não está sendo investigado em sua jurisdição, ou seja, na 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, no Paraná, localidade em que Moro, exerce a sua competência. O juiz alegou ainda que a fotografia foi tida como "infeliz", esclarecendo que não há nada que possa comprometê-lo com o político, ademais, enfatizou que, quando há casos com envolvimento de políticos, você tem "problemas políticos", diferentemente do ocorrido.

Publicidade

O juiz federal é o responsável pelo desfecho do maior esquema de corrupção que aconteceu no país nos últimos tempos. Moro é o comandante da Operação Lava Jato, que investiga os crimes planejados dentro da Petrobras.

A maior implicação é que o juiz passou a investigar os envolvidos, entre eles, estão o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e vários políticos do Senado Federal e da Câmara dos Deputados.

Por fim, Moro dissertou um pouco mais sobre a sistemática da #Lava Jato e defendeu o método utilizado para a "divulgação das ligações entre os ex-presidentes Dilma Rousseff e Michel Temer. Na realidade, o juiz revelou que o seu entendimento é pautado na "opinião pública", ou seja, o magistrado afirmou que não está disposto esconder da população o que os governantes se predispõem a fazer, o que não seria razoável para uma democracia, finalizou o editorial do site "Noticiasaominuto". #PSDB #Sergio Moro