Conhecido como o período mais orgásmico do século XX, 1968 foi o ano em que tudo ocorreu ao mesmo tempo. Fatos como o assassinato do pastor Martin Luther King, o protesto dos universitários na França, a guerra do Vietnã, o assassinato de Robert Kennedy e o lançamento da Apollo 7 agitaram o mundo. No #Brasil, vivendo uma ditadura que se instaurara em março de 1964, o período ficou marcado por acontecimentos que iam desde o lançamento da peça "Roda-Viva" de Chico Buarque- que teve o elenco atacado pelo CCC (Comando de Caça aos Comunistas), o assassinato do estudante Edson Luis no Calabouço, a passeata dos cem mil, a repressão aos estudantes no Congresso da UNE, até a morte de 28 pessoas o que ficou conhecido como "Sexta-Feira Sangrenta".

Publicidade
Publicidade

Mas, no fim daquele ano, um novo golpe seria dado: o AI-5.

"É proibido proibir"

Em 13 de dezembro, foi decretado o Ato Institucional n°5 pelo general Costa e Silva, marcando a fase de maior repressão da ditadura. Dentre as medidas adotadas estavam: o recesso do Congresso Nacional, a suspensão de habbeas corpus, a intervenção nos estados, a cassação de mandatos parlamentares, a suspensão de direitos políticos por qualquer cidadão por 10 anos,o confisco de bens considerados ilícitos e a censura. Considerado o maior instrumento de intolerância da ditadura, o AI-5 seria uma resposta ao pronunciamento do deputado Márcio Moreira Alves do MDB-que incitou a população a boicotar o desfile de 7 de setembro e pediu as moças "ardentes de liberdade" que se recusassem a sair com militares - e aos artigos publicados no Jornal Correio da Manhã pelo também deputado Hermano Alves.

Publicidade

Ambos foram cassados.

Qualquer oposição ao regime a partir desse momento tornava-se proibida, resultando em expulsão do Brasil. Dentre os políticos e artistas presos estavam Caetano Veloso, Gilberto Gil, Juscelino Kubitschek e Carlos Lacerda. Somado a isso, 11 deputados cassados apenas naquele final de ano. Com o aumento da repressão, a luta armada passa a ser alternativa para combater o regime, entretanto, jovens e líderes revolucionários serão massacrados pela ditadura, dando fim aos anos rebeldes e início aos anos de chumbo. #Direitos Humanos #Política