O deputado federal do DEM pelo estado do Rio Grande do Sul, Onyx Lorenzoni, recebeu diversas críticas do presidente do Congresso Nacional e do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL). Na tarde de quinta-feira (01), o senador alagoano afirmou, sem apresentar provas, que o deputado Onyx teria sido beneficiado em campanha, pelo recebimento de recursos provenientes da indústria de armas no Brasil, através de caixa 2. Renan Calheiros afirmou ainda ironicamente, que o deputado gaúcho, relator das dez medidas de combate à #Corrupção na Câmara Federal, de provavelmente ter se beneficiado da não aprovação do chamado "teste de integridade"m que fazia parte do conjunto das medidas.

Publicidade
Publicidade

Segundo Renan, o deputado Onyx teria recebido dinheiro de caixa 2. O senador ainda comparou o sobrenome de "Lorenzoni", com uma marca de chuveiro, chamando-o de "Onyx Lorenzetti".

Deputado responde enfaticamente

As críticas e insinuações de recebimento de caixa dois, ditas por Renan Calheiros, tiveram resposta contundente por parte de Onyx, que declarou ainda que irá processar o presidente do Senado: "Bandido a gente enfrenta no tribunal e na delegacia. Porém, já que ele tem foro privilegiado, vai ter que ser então no tribunal", ressaltou. Onyx ainda concluiu dizendo que já assinou uma procuração e mais tarde, faria uma interpelação judicial, para que Renan Calheiros, tenha que apresentar provas de suas insinuações. O deputado gaúcho, afirmou ainda que Renan já possui doze inquéritos abertos no Supremo Tribunal Federal, e talvez, tenha que responder à décima terceira Ação Penal.

Publicidade

Onyx esclareceu que não recebeu qualquer valor que fosse proveniente de caixa 2 e que disponibilizou seus sigilos bancário e fiscal às autoridades nas quatro últimas eleições que disputou. O deputado fez ainda comparações à situação de Calheiros: "nossas biografias são autoexplicativas, basta que se possa comparar. Essa foi a quarta eleição em sequência que disputei e abri meus sigilos bancário e fiscal. Faço isso como rotina e duvido que Renan Calheiros possa fazer", alfinetou Lorenzoni. O deputado gaúcho é o relator das dez medidas de combate à corrupção que foram aprovadas na Câmara Federal, porém, com várias alterações que "desfiguram" o projeto inicial. O conjunto original de medidas havia sido proposto por membros do Judiciário e da força-tarefa da Operação Lava-Jato.

#Lava Jato #Congresso Nacional