O "panelaço" é uma forma de protesto bastante inusitada. Quando houve protestos para tirar Dilma Rousseff do poder, o famoso panelaço foi algo constante, principalmente durante os pronunciamentos da então presidente na TV. De lá para cá, não se teve notícias de outros protestos desse tipo.

Porém, devido aos últimos acontecimentos envolvendo o campo político, o famoso panelaço voltou a ocorrer em várias cidades do Brasil. A manifestação funciona da seguinte maneira: durante à noite, várias pessoas vão até as janelas de suas casas e apartamentos e começam a bater nas panelas com talheres. Isso ocorre de forma coletiva.

Os protestos foram registrados nas cidades de Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiânia.

Publicidade
Publicidade

O motivo causador de tal revolta foi a aprovação da medida anticorrupção aprovada na Câmara dos Deputados. Vale salientar que juízes, promotores e outros profissionais do ramo idealizaram 10 medidas para combater a corrupção no Brasil.

O texto contou, ainda, com o auxílio parcial da população, que teve certa autonomia para indicar algumas medidas que são necessárias. O problema é que, ao chegar na Câmara dos Deputados, houve alterações que foram consideradas inapropriadas, segundo os procuradores da Operação #Lava Jato.

No texto alterado, foi acrescentado punições à juízes e promotores. Em suma, isso limita radicalmente o poder de julgamento de tais autoridades. Inclusive, na noite desta quarta-feira (30), Deltan Dallagnol idealizou uma coletiva de imprensa em que foram pautadas justamente as modificações da medida anticorrupção.

Publicidade

Segundo o mesmo, se aprovada, essa lei limitará os juízes e promotores. E o mais impactante é que, segunda Deltan Dallagnol, haverá uma renúncia coletiva da força tarefa da Lava Jato se efetivamente essas medidas forem aprovadas por Michel Temer.

Neste momento, o pacote anticorrupção será direcionado ao Senado Federal, onde será votado pelos senadores. Se efetivamente os senadores aprovarem, caberá à Michel Temer sancionar ou não.

Além dos panelaços, houve muitos protestos nas redes sociais. Como é de se esperar, as redes sociais têm tido grande influência no debate de assuntos políticos. O movimento "MBL" anunciou em sua respectiva página no Facebook que fará protestos contra tais medidas. Inclusive a página convoca os usuários a participarem dos protestos que ocorrerão neste domingo. #Política #Protestos no Brasil