O Governo Federal cancelou a licitação para compras dos #alimentos que seriam usados nos aviões da Presidência da República, em 2017. Orçada em R$ 1,75 milhão, a licitação foi anunciada nesta terça-feira (27) e cancelada horas depois, após repercussão negativa perante a opinião pública.

No Twitter, rede social em que o presidente Michel Temer (PMDB) mantém uma conta oficial, muitos usuários criticaram o valor e os itens que faziam parte da lista pedida pelo Planalto na licitação.

“O presidente #Michel Temer, ao embarcar de volta de viagem de trabalho a Maceió, tomou conhecimento da notícia sobre licitação pela comissária de bordo para o #Avião presidencial e determinou seu imediato cancelamento”, afirmou nota divulgada pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto.

Publicidade
Publicidade

Café da manhã

Para a primeira refeição do dia foram encomendados 200 cafés da manhã prontos, que incluíam presunto parma, queijos bier, muçarela de búfala e provolone, por R$ 96, cada.

Havia, também, embutidos mais populares, como a mortadela. O lanche de mortadela estava cotado em R$ 16,45, cada um. Valor elevado para este tipo de lanche.

Alto também está o preço da Nutella, um creme de avelã e chocolate usado para passar em pães e biscoitos. Cada um dos 120 potes custaria R$ 34. O tamanho do pote não divulgado. Em mercados, o pote de 350g custa, aproximadamente, R$ 20.

Sorvete e torta

Além do valor, chamou a atenção os alimentos pedidos. Constavam na lista, vários tipos de sorvetes.

Publicidade

Entre eles, 500 potes da marca Häagen Dazs que custariam R$ 7.500.

Foram pedidos, também, 500 picolés da Kibon: 50 Tablitos, 50 Eskibons, 50 Frutillys, 50 Chicabons e 300 picolés sem lactose. Michel Temer e sua equipe devem amar doces.

Entre os pedidos, constava 1,5 tonelada de torta de chocolate, que representaria gasto de R$ 96 mil.

Bom gosto

Os alimentos mostram que a equipe presidencial tem bom gosto. Até mesmo itens mais corriqueiros, como sal e açúcar, tinha especificações especiais, com quatro tipos de açucares e sal do Himalaia.

Repercussão no Twitter