Se antes já era difícil se aposentar recebendo aposentadoria integral, caso o projeto de Reforma da Previdência seja aprovado, será praticamente impossível, garantem especialistas em previdência. Uma das propostas “polêmicas” da reforma é a da aposentadoria integral, que somente será concedida a contribuintes com 49 anos de contribuição. Para se ter uma ideia, se um trabalhador começar a contribuir com a Previdência com 16 anos, ele somente se aposentará com seu salário integral, se trabalhar continuamente (sem ficar desempregado ou afastado de suas funções) quando completar 65 anos.

Outro exemplo clássico da dificuldade de conseguir 100% dos ganhos, é o caso de trabalhadores que só começam a contribuir, após o término dos estudos (graduação) e a contribuir após os 24 anos.

Publicidade
Publicidade

Esses, se trabalharem continuamente, somente se aposentarão com aposentadoria integral com 73 anos.

Segundo alegação do governo, é necessário fazer a #Reforma da Previdência para que seja estabelecido o controle das contas públicas e também diminuir um déficit, que, em 2017, pode chegar a 230 bilhões (incluindo pensões de militares, trabalhadores do setor privado e público). Um número altíssimo, equivalente a 3,46% do PIB (soma de todas as riquezas do país).

Outro fator utilizado como base para justificar a implantação da reforma, é que a taxa de natalidade do país está caindo e que a população está envelhecendo mais (expectativa de vida maior), tal comparação conclui que, no futuro, existirá uma porcentagem maior de idosos no país e uma quantidade menor de contribuintes.

Impacto sobre as mulheres será maior

Caso realmente sejam aprovadas as propostas da Reforma da Previdência, sem alterações, as mulheres serão as mais impactadas com as mudanças.

Publicidade

Elas terão que trabalhar muito mais para se aposentar, porque será exterminada a soma 85/95 que é base de cálculo utilizada atualmente, que se refere a idade + tempo de contribuição. Nessa soma, homens têm que somar 95 e mulheres 85. Hoje, uma mulher que começa a trabalhar e a contribuir com 25 anos, contaria com aposentadoria integral com 55 anos (30 anos de contribuição + 55 anos = 85) com as novas regras, ela teria que trabalhar até os 73 anos para conseguir os mesmos benefícios, ou seja, essa mulher teria que trabalhar mais 18 anos para conseguir uma aposentadoria integral.

Outra mudança relevante da reforma, é a proposta de mudança no tempo mínimo para contribuição, para se aposentar por idade. Atualmente, para se aposentar por idade, é necessário contribuir pelo menos, por 15 anos. Com as novas regras, esse tempo mínimo passará a ser de 25 anos. #Governo #PrevidenciaSocial