Ao que parece a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (#STF), não valeu de nada para a Mesa Diretora do Senado que decidiu manter o senador #Renan Calheiros como presidente da casa. Se para muitos brasileiros a decisão do STF representaria mais um passo para a limpeza do Congresso Nacional, a decisão da Mesa mostra que há várias barreiras que impedirão que isso aconteça. Em sua defesa, a Mesa Diretora diz que irá manter Calheiros como presidente até que o STF tenha uma decisão tomada pelo plenário do tribunal. A previsão é que a pauta seja votada no STF nesta quarta-feira (7), mas pela fala do ministro Gilmar Mendes, quem pode ser prejudicado nessa história toda é o ministro que decidiu afastar Renan Calheiros, e não o senador.

Publicidade
Publicidade

“Não se afasta o presidente de um poder por iniciativa individual”, disse Mendes ao Blog do Moreno do jornal O Globo. Para o ministro, tomar a decisão com base no pedido feito pela Rede Solidariedade foi um erro de Marco Aurélio Mello. Mendes chegou até a cogitar o impeachment do ministro, dizendo que a decisão dele foi “indecente”.

Renan não assinou a notificação

Segundo a imprensa, um oficial de Justiça esteve hoje por volta das 15h06 no Senado para entregar a notificação à Renan Calheiros. Contudo o presidente do Senado não assinou o documento. Por se recusar a assinar o senador do PMDB poderá ser preso. Para isso Marco Aurélio deverá enviar um mandado com base no artigo 330 do código penal que versa sobre desobedecer uma ordem judicial. Se isso acontecer, Calheiros poderá ficar de 15 dias a seis meses preso e ainda terá que pagar multa.

Publicidade

Ciente de que pode perder o cargo, o senador segue seguro de que continuará presidindo o Senado. “Nenhuma democracia merece isso”, disse ele ao afirmar que faltam apenas nove dias para encerrar os trabalhos do Senado tendo várias pautas já pré-definidas. Calheiros ainda insinuou que o medo do ministro Marco Aurélio é que o Senado vote a pauta que acaba com os supersalários. “Toda vez que ele ouve falar em supersalários, ele parece tremer na alma”, disse. #Política