A #Política brasileira anda movimentada nos últimos anos. E em 2016 não foi diferente. Relembre 7 momentos que fizeram parte da vida política e do cotidiano do brasileiro.

Impeachment de Dilma Rousseff

Em dezembro de 2015, Eduardo Cunha, até então presidente da Câmara dos Deputados, autorizou a abertura do processo de #Impeachment. Em abril deste ano, o processo foi aprovado na Câmara e encaminhado ao Senado, que decidiu por 61 votos favoráveis e 20 contrários, pelo afastamento de Dilma da presidência da República em agosto. A ex-presidente, no entanto, não perdeu seus direitos políticos.

Prisão de Eduardo Cunha

O ex-deputado e presidente da Câmara, foi preso em outubro acusado de receber propina e usar contas secretas na Suíça para lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

A ordem de prisão foi emitida pelo juiz Sério Moro a pedido do Ministério Público Federal.

Anthony Garotinho é preso no RJ

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, que ocupava o cargo de secretário de governo de Campos dos Goytacazes, foi preso em novembro na “Operação Chequinho”, que investigava o uso do benefício social “Cheque Cidadão” para a compra de votos na cidade em 2016.

Ex-ministro Antonio Palocci detido na Operação Lava Jato

Palocci, que foi ministro da Fazenda durante o governo Lula, e da Casa Civil no governo Dilma, foi detido em setembro em mais uma fase da Operação Lava Jato, acusado de receber propina da #Odebrecht em troca da concessão de privilégios à empresa.

Sérgio Cabral é acusado de receber propina

A Polícia Federal prendeu o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que foi acusado de receber propinas de empresas em troca da assinatura de contratos para a realização de obras públicas.

Publicidade

O prejuízo seria de mais de 220 milhões.

As delações da Odebrecht

Vários políticos influentes, entre eles o atual presidente Michel Temer, a ex-presidente Dilma, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, José Serra e o ex-presidente Lula, estão envolvidos nas delações de 77 executivos da empresa que foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) em dezembro. Os depoimentos estão com o ministro Teori Zavascki (STF) para serem analisados.

10 medidas contra a corrupção

A Câmara votou em novembro o pacote de medidas anticorrupção. Dentre as dez medidas apresentadas pelo Ministério Público Federal (MPF), seis foram retiradas e as quatro restantes foram alteradas. No projeto que foi aprovado na Câmara, os deputados incluíram uma proposta de punição a juízes e promotores em casos de abuso de autoridade. Porém, o ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, emitiu liminar suspendendo a votação na Câmara, alegando que houve irregularidades durante a tramitação do projeto. Com isso, todas as medidas foram anuladas e estão de volta à Câmara para uma nova votação.