O presidente do Senado, #Renan Calheiros (PMDB-AL), enfim se tornou réu no Supremo Tribunal Federal (STF) após diversas acusações. O STF votou na sessão desta quinta-feira (1º) um processo que corre desde 2007, quando Calheiros foi denunciado por, supostamente, utilizar dinheiro ilícito para pagar a pensão da sua filha, fora do casamento, com a jornalista Mônica Veloso. Vale ressaltar que o peemedebista é alvo de outros 11 inquéritos.

Por enquanto, Calheiros pode seguir como presidente do Senado, mesmo sendo o segundo na linha sucessória, atrás apenas de Rodrigo Maia (DEM-RJ). É importante que se diga "por enquanto" porque o Supremo ainda não terminou de analisar e julgar se réus podem fazer parte da linha sucessória do presidente da República.

Publicidade
Publicidade

No começo de novembro, a pauta foi colocada em votação pelo STF, porém, o ministro Dias Toffoli pediu vistas do processo, então a sessão que irá votar o caso foi adiada por tempo indeterminado. Renan Calheiros segue como presidente do Senado até o fim do seu mandato, que se encerra no dia 31 de janeiro. #Senado Federal #Dentro da política