O gigantesco conteúdo de quase uma centena de delações premiadas dos executivos da Odebrecht deverá ser entregue nessa segunda-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal (#STF). Por enquanto, as delações estão sob proteção de #Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República. Após a entrega dos depoimentos (que podem abalar de vez o governo de Michel Temer e de diversos políticos) no STF, o responsável em analisar o conteúdo das delações é #Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo.

De acordo com reportagem publicada no jornal “O Globo”, o conteúdo dos depoimentos se encontra armazenado em arquivos de computador, pen drives e documentos, cuja totalidade abrange cerca de 800 depoimentos prestados pelos 77 ex-executivos e executivos da Odebrecht, uma das principais empreiteiras do mundo, que está sendo acusada de envolvimento em esquema de pagamento de propinas.

Publicidade
Publicidade

Depoimentos devem ser analisados em fevereiro

Todos os depoimentos enviados nessa segunda-feira somente serão analisados pelo ministro Teori Zavascki no retorno do recesso no Supremo Tribunal Federal, previsto para ser encerrado em fevereiro de 2017, porém, em janeiro, segundo jornal “O Globo”, Teori já deverá começar os trabalhos investigativos. Um desses trabalhos será o de ouvir os delatores e seus advogados para verificar se houve algum tipo de coação, no momento em que foram assinados os acordos de colaboração premiada. A partir dessa oitiva, caberá, somente a Zavascki homologar ou não, os depoimentos recebidos pela Força Tarefa da Lava Jato.

Após o término dessa etapa, o Procurador-Geral da Republica, Rodrigo Janot poderá pedir a abertura de novas investigações sobre os depoimentos que estão por enquanto sob seu poder.

Publicidade

Vazamento de informações

Somente o depoimento de Cláudio Melo Filho, ex-diretor da Odebrecht, vazou para a imprensa. O conteúdo dos outros depoimentos foi guardado a sete chaves, e nenhuma informação sequer foi divulgada na mídia. O vazamento da delação de Cláudio Melo Filho foi um “pequeno aperitivo” do que estar por vir em 2017, já que nomes de relevância do cenário político atual como o presidente Michel Temer e os presidentes do Senado e da Câmara, Renan Calheiros (PMDB-AL) e Rodrigo Maia (DEM-RJ). Um ano que provavelmente entrará para a história da política brasileira.