A Polícia Federal prendeu o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, no mês passado, por lavagem de dinheiro. Durante a manhã desta segunda-feira (19), os investigadores revelaram exatamente onde Cabral estava encobrindo seus subornos: em cursos de inglês e pistas de boliche.

O empresário John O'Donnel transformou 1 milhão de reais em recibos falsos repassados para a Polícia Federal, através de uma franquia de curso de inglês chamado "Brasas". A franquia emitiu faturas falsas para uma empresa de serviços de TI de propriedade de Luiz Carlos Bezerra, principal operador de suborno para Cabral.

A empresa de Bezerra transferia taxas para a conta bancária do curso, e o dinheiro transferido retornava para empresa.

Publicidade
Publicidade

Em troca, o curso de inglês descontava os impostos.

O'Donnel relatou à polícia que seu filho notou irregularidades contábeis e descontinuou as faturas falsas. Em seguida, de acordo com O'Donnel, Bezerra pediu mais tempo para descobrir como ele iria continuar a encobrir o dinheiro extra sem os recibos falsos.

Além de cursos de inglês, O'Donnel possui uma série de pistas de boliche em dois dos centros comerciais do Rio de Janeiro. Após as escolas de inglês saírem do esquema de lavagem de dinheiro de Bezerra, as pistas de boliche preencheram a lacuna de faturas falsas.

No entanto, quando um funcionário administrativo descobriu os recibos de estranhos, ele questionou Bezerra sobre os serviços efetivamente prestados. Bezerra, em vez de responder ao contador, enviou um e-mail com raiva para O'Donnel.

Publicidade

Em sua defesa, O'Donnel afirmou que os cursos de inglês eram operados independentemente da franquia global "Brasas". Em seu depoimento, O'Donnel afirmou que Bezerra havia pedido sua ajuda na emissão de notas fiscais, a fim de justificar o seu salário, que carecia de um certificado oficial.

O'Donnel afirma que ele não tinha conhecimento do uso de falsos recibos para encobrir subornos do ex-governador. Para a polícia, O'Donnel afirmou que ele acreditava que o dinheiro era simplesmente um pagamento pelos serviços prestados a Bezerra e Sérgio Cabral.

A empresa de Bezerra apareceu entre os empreiteiros de construção contratados para construir obras públicas. Após encobrir subornos com notas fiscais, a empresa distribuiu dinheiro a políticos e suas famílias. #Política #Sergio Cabral #Corrupção