Em uma palestra realizada nessa sexta-feira (09), em Heidelberg, na Alemanha, o juiz federal comandante da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, comentou a #Polêmica foto em que ele aparece sorrindo e “cochichando” com o senador #Aécio Neves (PSDB). Logo após o término da palestra (entre aplausos e vaias), Moro afirmou que não existe nenhum interesse político nas investigações da Operação Lava Jato, e que as investigações são realizadas de forma totalmente imparcial, e sem sofrer influência de políticos de nenhum partido.

Perguntado pela DW Brasil sobre a polêmica foto, em que aparece ao lado de Aécio Neves na premiação feita pela revista “IstoÉ”, (foto que foi muito criticada nas redes sociais e que causou grande repercussão negativa ao juiz), Moro afirmou que Aécio Neves, não está sob sua jurisdição, e que não há nenhum processo envolvendo o senador na Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

“Aquele foi um evento público, e o senador não está sob minha investigação na Justiça Federal de Curitiba. Confesso que foi uma foto infeliz, mas não existe nenhum caso que envolva o senador”.

O juiz ainda afirmou que não existe imparcialidade nas investigações, pois as investigações possuem um único foco, a Petrobras. Segundo ele, devido ao foco dado na estatal, é natural que políticos de partidos de oposição (PSDB) não apareçam nas investigações.

Questionado sobre a denúncia de um executivo da Odebrecht envolvendo o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin em recebimentos de propinas nas campanhas de 2010 e 2014, Sérgio Moro não quis comentar sobre o assunto.

“Casos envolvendo políticos são encaminhados ao Supremo”, afirmou de forma enfática.

Lava Jato não é uma bruxa caçadora

O juiz disse que discorda das críticas que vêm sendo feitas, que processos estão sendo conduzidos de forma ilegal na Lava Jato.

Publicidade

“A Lava Jato não é uma bruxa caçadora”, afirmou ele, e justificou sua afirmação, dizendo que nunca ocorreu uma prisão na operação, que fosse baseada em opiniões políticas, e que todos os crimes foram evidenciados após investigações, e não através de discursos e opiniões de líderes políticos.

Para ele, a Lava Jato é a oportunidade do país de superar a “prática vergonhosa” que é o pagamento de propinas, e que políticas de combate à corrupção, devem ser implementadas pelo poder executivo, para fortalecer ainda mais, o combate a prática de corrupção. #SérgioMoro