Nessa quinta-feira (22), o presidente da República #Michel Temer (PMDB) concedeu informações importantes aos jornalistas sobre a medida elaborada em seu governo, a qual dará direito ao trabalhador de sacar os valores de contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), que estejam inativas até o fim de 2015. Agora não haverá mais limite para saque, o trabalhador poderá sacar o valor integral.

De acordo com a equipe econômica, com essa nova medida, o país terá um impulso maior para superar a crise de endividamento das famílias, o que, segundo analistas, dará um impulso maior para a retomada do crescimento da #Economia.

Publicidade
Publicidade

A partir de agora, então, quem estiver fora do mercado de trabalho formal e quer sacar seu saldo do #FGTS pode sacar a qualquer momento, e não mais aguardar o prazo de três anos, após sua demissão como era anteriormente.

Na quarta-feira (21), Michel Temer havia anunciado que poderia ser sacado um limite de mil reais na conta do FGTS para contas que tivessem um saldo de até dez salários mínimos (R$ 8.800), mas, após reunião com sua equipe econômica, ele mudou de ideia e anunciou que não haverá mais limite para saque, podendo o interessado sacar o valor integral de sua conta.

Expectativa

A expectativa gerada com essa liberação do saldo do FGTS é que 10,2 milhões de trabalhadores sejam beneficiados com a medida. Normalmente, serão alcançados com a liberação trabalhadores que deixaram o emprego (pediram conta) e vão para outro emprego, buscando uma melhor remuneração ou condições de trabalho.

Publicidade

Lembrando que existem restrições para efetuar o saque do FGTS, sendo que, atualmente, somente podem sacar o FGTS trabalhadores que são mandados embora sem justa causa, quando se aposentam ou quando é feito um financiamento imobiliário pela Caixa Econômica Federal para aquisição de moradia própria.

Juros do cartão de crédito

Outra importante medida anunciada hoje por Temer é a redução dos juros do cartão de crédito, que será reduzido em 50%. Com o anúncio dessas duas medidas, Temer garante que irá injetar 30 bilhões na economia, valor que representa 0,5% do Produto Interno Bruto do País.