O trágico acidente que vitimou o ministro relator de todos os processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (#STF), Teori Zavascki, já levanta fortes suspeitas por advogados da empreiteira Odebrecht, sobre quem será o nome que irá possivelmente homologar, ou seja, "validar" as delações da Construtora e assumir a relatoria dos inquéritos na mais alta Corte do País. Passados mais de dois dias desde o acidente aéreo de Teori e mais quatro pessoas, advogados e delatores da maior construtora do Brasil, acreditam que o processo de homologação de 77 ex-funcionários e executivos da empresa, poderá ser finalizado no prazo de dois meses, quando já tiver sido escolhido o novo relator de todos os processos na Suprema Corte, da maior operação de combate à corrupção em curso no País.

Publicidade
Publicidade

Conversas reservadas

Os advogados da empreiteira #Odebrecht possuem uma forte suspeita e dizem em anonimato, sobre qual poderá ser a escolha do novo relator da Lava-Jato, a ser designado pela presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia. Segundo delatores e suas defesas, o nome a ser escolhido será por um processo de exclusão dos demais. De acordo com a jurisdição, deverá ser escolhido um nome da 2.ª turma do STF. São quatro magistrados nesse grupo: Gilmar Mendes, José Dias Toffoli, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. Através da análise de algum tipo de comprometimento partidário, três deles poderiam ser excluídos da relatoria. Tratam-se de Gilmar Mendes, Dias Toffolli e Ricardo Lewandowski. Gilmar Mendes seria ligado, segundo fontes ouvidos em anonimato, aos tucanos e inclusive, foi nomeado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Publicidade

Os dois últimos: Toffoli e Lewandowski, também podem ter suas chances diminuídas drasticamente, já que ambos são ligados ao PT e foram nomeados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula é réu por cinco vezes e enfrenta acusações de crime de corrupção, lavagem de dinheiro e tráfico de influência. A perspectiva recai sobre a escolha do decano Celso de Mello, que é considerado mais independente do que os demais, segundo os advogados dos delatores. Segundo eles, "Celso de Mello convive há anos com a Lava-Jato e isso acarretará que as coisas andem rápido". Ainda segundo os advogados dos delatores, "é provável que os juízes auxiliares de Teori, que fazem a análise dos processos da Lava-Jato desde o início, sejam transferidos para trabalhar com o novo relator", ressaltam delatores e advogados. #Lava Jato