O cidadão brasileiro já deve se preparar para parar de assistir as séries da Netflix, os vídeos do Youtube ou jogar videogame online com amigos. O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, anunciou nesta sexta-feira, 13, o fim da #Internet fixa ilimitada. O governo federal já está trabalhando para que, no 2º semestre, as operadoras de telefonia limitem o acesso dos clientes à banda larga, como já acontece hoje na telefonia móvel. Desta forma, caso os clientes atinjam o limite determinado arbitrariamente pelas operadoras, eles terão sua internet cortada ou a velocidade diminuída, ainda que estejam com as contas pagas.

Publicidade
Publicidade

O governo trabalha com a possibilidade de que as operadoras ofereçam um pacote sem franquia de dados, mas especialistas alertam que esses novos planos devem ser mais caros que os atuais.

O governo diz que o objetivo da proposta é melhorar a qualidade do serviço, mas não informou de que forma o corte da internet dos brasileiros vai melhorar a internet no Brasil. "Nosso objetivo é beneficiar o usuário. O Ministério trabalha para que o usuário seja cada vez melhor beneficiado com melhores serviços. Nós vamos, no momento certo, esperamos que seja ainda em 2017, no 2º semestre, para que esse serviço seja o mais elástico possível, mas tenha um ponto de equilíbrio, porque as empresas tem os seus limites", afirmou Gilberto Kassab ao portal Poder 360. "O governo vai estar sempre ao lado do usuário.

Publicidade

O problema é ponto de equilíbrio", complementou.

O anúncio do ministro provocou revolta nas redes sociais. A hashtag #NaoAoLimiteDaInternet se tornou o assunto mais comentado no Twitter na manhã desta sexta-feira. Usuários do serviço utilizaram a rede social para criticar o presidente Michel #Temer e o ministro Gilberto Kassab. A usuária @ourlovephoebe comentou: "Já quis cortar sociologia e filosofia do ensino médio, quer cortar aposentadoria, agora a internet?". "Bloquear sinal de celular de presídio, dar mais condições de saúde, educação e segurança pública nenhum deles quer", afirmou @stydiasfabulous.