Nesta segunda-feira (16), o grupo britânico Rolls Royce se comprometeu a pagar uma multa de R$ 83 milhões ao Brasil. O acordo foi firmado com o Ministério Público Federal brasileiro para que as investigações contra a empresa sejam encerradas. A empresa fabrica turbinas que eram adquiridas pela Petrobrás para a geração de eletricidade.

O ex-gerente da estatal Pedro Barusco e o lobista Julio Faerman declararam aos investigadores da Operação Lava Jato que foram responsáveis por receber e repassar propinas da Rolls Royce para que a empresa fosse beneficiada com contratos junto a Petrobrás.

De acordo com as informações de Barusco à Polícia Federal, ele disse que recebeu R$ 200 mil de propina para que fosse firmado um contrato de R$ 100 milhões do grupo britânico com a estatal petrolífera.

Publicidade
Publicidade

A Controladoria Geral da União (CGU) confirmou os contratos feitos pela empresa com a estatal, mas os valores são bem mais altos do que os informados por Barusco. Um negócio que foi fechado em 2011, chegou ao valor de R$ 650 milhões.

Representante

O delator Faerman também declarou a prática de vários atos de #Corrupção. Faerman era representante da Rolls Royce e de uma outra empresa holandesa, a SBM. Segundo declarações do lobista, o grupo britânico pagou o equivalente a U$ 139 milhões em dinheiro irregular para que fossem fechados contratos, que somados chegam ao valor de U$ 27 bilhões.

A empresa Holandesa SBM também fechou acordo de leniência com a #Lava Jato e se comprometeu a pagar U$ 149,2 milhões à Petrobrás.

Acordo

O acordo da Rolls Royce com o Brasil é apenas uma parte do acordo maior que envolve Reino Unido e Estados Unidos.

Publicidade

Ao todo, a empresa pagará uma multa de 671 milhões de libras, o que equivale R$ 2,6 bilhões.

O Brasil ficou com a menor parte da multa e o Reino Unido com a maior.

A Rolls Royce avisou que irá colaborar com as investigações tanto no Brasil como nos outros países e que não aceitará, em hipótese nenhuma, acordos irregulares para que adquira prioridade de contratos. A empresa disse que é totalmente contra os subornos ocorridos. #Petrobras