Pelo que tudo indica, o #Governo Federal está envolvido em mais uma confusão, na qual o principal prejudicado será novamente o cidadão comum. Desta vez os protagonistas são Juarez Quadros, presidente da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações e o velho político conhecido principalmente dos paulistanos, que é o atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações Gilberto Kassab. A questão é que Quadros, ao ser entrevistado pelo grupo “G1”, disse que não há nenhuma intenção de se alterar as regras que norteiam a forma como a internet banda larga é oferecida à população e cobrada nas tarifas em todo o território nacional.

Por outro lado, o objetivo do ministro Kassab, que entre outros cargos políticos foi prefeito da Cidade de São Paulo, não condiz nem um pouco com a fala do presidente da Anatel, pois este primeiro também ao conceder uma entrevista, aos jornalistas do “Poder360”, colocou a Agência em uma verdadeira sinuca de bico, na medida em que forçosamente, segundo Gilberto, a Anatel, em conjunto com o governo do Planalto Central, possui a obrigação de decidir de uma vez por todas acerca dos inúmeros planos de fornecimento de #Internet existentes no país, cuja data limite para isso seria até o 2º semestre deste ano.

Publicidade
Publicidade

Como se não bastasse novamente o assunto da internet voltar a ser tema de discussão, o mesmo Kassab completou dizendo que os pacotes que apresentam os chamados acessos limitados seriam novamente comercializados. Obviamente que se esta ação vier a ser adotada, o lucro das operadoras aumentará sensivelmente.

Para não fugir à regra naquilo que é uma característica marcante do Governo Federal, que está sendo a subjetividade ou, em outras palavras, a indecisão nas respostas ao povo, o Ministério até o presente momento não homologa e nem nega as informações veiculadas acima. Pelo contrário, o mesmo Ministério ficou “cheio de não me toques” para abordar o assunto de liberação e pagamento dos serviços da internet, só se reservando a fala de “que o direito do consumidor seja respeitado". Agora quais serão os princípios reguladores para que isso seja de fato uma verdade e para que o CDC - Código de Defesa do Consumidor não seja desrespeitado, o Ministério não presta maiores informações.

Publicidade

Entretanto, toda essa situação do dito pelo não dito, já acabou provocando a fúria dos hackers conhecidos como “#Anonymous”, sendo que o grupo fez questão de emitir uma nota nada amistosa para com o ministro Kassab. Enfim, depois que a matéria de Juarez Quadros da Anatel foi ao ar no G1, os Anonymous intencionalmente vazaram dados pessoais de Gilberto Kassab, tais como: todo o endereço do político, dados de suas contas de poupança e até quanto Gilberto tem de participação nas ações em algumas organizações.

Os hackers disseram que o acontecido no dia 13 de janeiro, quanto ao vazamento, é uma pequena amostra do que poderão fazer como desafio ao governo brasileiro que, de acordo com os mesmos, parece “ter perdido o medo do povo”. E os ativistas ainda fizeram questão de complementar, afirmando que esse não é o problema, uma vez que eles estarão sempre presentes para lembrar aos políticos que “a base de dados da Anatel é nossa (dos hackers) e os dados do Ministro fanfarrão são de todos".