O ex--governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), deveria estar contente hoje. Nesta sexta-feira (27), ele comemora mais um ano de vida, celebra os seus 54 anos. Mas onde estão os presentes, as bebidas, os alimentos, o bolo, a festa?. Pois é, #cabral, está preso no Complexo Penitenciário Bangu 8, Zona Oeste do Rio de Janeiro e lá não tem nada de festa e de comemoração.

Apesar de ser uma data especial para o ex-governador, ele não pode receber nem um bolo e nem ter direito a visitas. A sua família e amigos só poderão visitá-los na quarta ou no próximo sábado.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), a rotina da unidade não muda em nada.

Publicidade
Publicidade

"Só se permite a entrada de alimentos nos dias de visita".

Tristeza de Pezão

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), sucessor e aliado de Cabral, comentou estar muito triste com a situação de seu amigo. Segundo seus assessores, Pezão não queria que o amigo estivesse preso e passando por tantas dificuldades, ainda mais nesse dia tão especial, em que Cabral comemora o seu aniversário.

Em sua cela, o ex-governador do Rio tem direito a poucas coisas. Ele tem uma televisão de 16 polegadas, a menor do mercado e um ventilador de no máximo 30 centímetros.

Essa nova vida de Cabral é muito diferente da que ele tinha antigamente. O Ministério Público Federal apontou que ele desviou R$ 340 milhões e é o líder de um esquema criminoso. Só em ternos italianos, Cabral gastou R$ 150 mil.

Publicidade

"Oceano de corrupção"

De acordo com Ministério Publico Federal, o patrimônio não declarado de Cabral é um "oceano que ainda não foi mapeado". São tantos gastos que parecem não ter fim as investigações. Cada dia se descobre algo novo. Foram descobertos pagamentos de hotéis de luxo e compra de roupas caríssimas.

Segundo informações do MPF, um resort de luxo pago pelo ex-governador tem um safári de 300 mil m², com 500 animais das faunas brasileira, européia e africana. Sem contar com a mansão que Cabral tem em Mangaratiba.

Todo o gasto de Cabral e sua família era pago em dinheiro vivo ou até mesmo através de contas no exterior. #riodejaneiro #Corrupção