Após o ministro Gilberto Kassab ter informado em entrevista, ontem (12), que a aplicação da franquia de dados na internet fixa teria início no segundo semestre de 2017, a confusão sobre o assunto já começou. As redes sociais se tornaram local para vários protestos criticando a decisão do governo. O protesto mais alarmante veio do #Anonymous Brasil, que chegou a divulgar ameças ao governo e à Agência Nacional de Telecomunicações (#anatel).

Governo faz declaração informando que não haverá alteração na banda larga

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, afirmou hoje (13) que a adoção de franquia nos planos de #Banda Larga não está em pauta nem deverá entrar em discussão tão cedo.

Publicidade
Publicidade

Ele reafirmou que a cautelar que proíbe todas as operadoras de limitar dados, tanto os enviados como os recebidos, continua a valer. Segundo Quadros o ministro Kassab cometeu um "equívoco" ao fazer a declaração. Porém o dirigente da Anatel confirma que o tema está na agenda da reguladora, mas sem prazo para análise.

Em nota, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações informou que o modelo atual de planos de banda larga, sem controle da quantidade de dados utilizado mas apenas de velocidade fornecida, não será alterado.

Anonymous Brasil iniciou ataques à Kassab e à Anatel

Mesmo com esta afirmação do presidente da Anatel, o grupo hacktivista Anonymous Brasil atacou novamente, conforme havia anunciado hoje (13) mais cedo. Em pouco tempo o grupo conseguiu expor os dados do ministro Kassab.

Publicidade

O grupo também alega que a base de dados da Anatel já foi sequestrada. Conforme a ameaça, vazamentos como esses são uma pequena demostração do que poderão vir a fazer.

Os dados divulgados do ministro incluem todos os número de telefone, CPF, data de nascimento, endereço particular, participações societárias, nome de familiares próximos assim como todos os números de telefones fixo relacionados ao ministro, e muitas outras informações. As informações divulgadas da Anatel são os nomes dos bancos de dados disponíveis. Conforme declarado pelo Anonymous Brasil, "o governo voltou atrás, mas o nosso aviso é permanente". Veja o post do Facebook na galeria de fotos.