Em onda de declarações polêmicas de figuras públicas a respeito dos últimos massacres em presídios brasileiros, que resultaram em dezenas de mortes numa suposta guerra entre facções criminosas, o deputado Jair Bolsonaro (PP) trouxe à tona um vídeo publicado em 2015 onde o parlamentar fez uma declaração a respeito dos investimentos financeiros em presídios e tratamento dos presidiários. "Se um dia eu tiver a chave do cofre, entre investir numa escola e num presídio, eu vou investir onde? Na escola. O presídio fica para depois", disse ele. "Tem que entender de uma vez por todas que o direito que ele (o detento) tem é não ter direito."

Ele sugere ainda que os presídios sejam instalados em fronteiras.

Publicidade
Publicidade

"É só colocar o vagabundo lá que o custo vai ser zero". "Tem leishmaniose, tem malária, tem jacaré, tem onça... Ele vai aprender a viver entre os animais porque eles nos tratam como animais dentro da área urbana", concluiu.

A declaração soou como uma resposta a uma das últimas decisões tomadas pelo presidente Michel #Temer, onde foi liberado R$1,2 bilhão de reais para investimentos em presídios, tais como construção de novas instituições, modernização do sistema penitenciário e compra de novos equipamentos. A liberação foi feita no dia 28 de dezembro do ano passado.

Mas não é a primeira vez que Bolsonaro dá fortes e polêmicas opiniões a respeito da vida de detentos nos presídios brasileiros. Em 2015, ele havia declarado: "Se um dia eu tiver poder para tal, não vai haver um centavo pra ONG, um centavo pra qualquer órgão relacionado a direitos humanos.

Publicidade

Vocês vão trabalhar, vão deixar de viver em cima da desgraça que vive um policial militar ou um policial civil, os coitados tem uma vida por trás daquela farda e não dão bola pra essa vida."

"Temos uma porcaria de constituição no que se refere à Direitos Humanos. Não há pena de morte aqui. O cara não teme nada, não há prisão perpétua. Não precisa fazer nada, não precisa trabalhar, fica sugando o Estado no tempo em que está detido", disse também o deputado no mesmo discurso. #bolsonaro