O deputado Jair #bolsonaro , do PSC, corre contra o tempo e busca sedimentar o seu caminho à disputa da eleição presidencial de 2018. O deputado federal do Rio de Janeiro, vem se destacando em sondagens e pesquisas para as próximas eleições. De acordo com as últimas pesquisas eleitorais, com referência ao Instituto Datafolha, Jair Bolsonaro aparece entre os primeiros colocados, com uma boa margem de votos e com grande perspectiva para crescimento. As redes sociais são um dos meios mais eficazes que impulsionam a ascensão do deputado federal. O parlamentar já se tornou alvo de grandes polêmicas, como por exemplo, durante a votação do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em Plenário da Câmara dos Deputados.

Publicidade
Publicidade

Após proferir seu voto favorável ao processo de impedimento definitivo de Dilma Rousseff, Bolsonaro chegou a ser alvo de uma "cusparada" do deputado psolista Jean Willys. O deputado esquerdista enfrentou um processo por quebra de decoro no Conselho de Ética da Câmara, o que pode resultar em uma suspensão de vários meses de seu mandato de parlamentar.

Situação partidária

Jair Bolsonaro, com o crescimento adquirido de acordo com as últimas sondagens à disputa presidencial de 2018, pretende implementar uma ação estratégica , para que confirme a viabilização do seu nome para as próximas eleições. E a estratégia passa pelo momento crucial que atravessa a Operação Lava-Jato. A Lava-Jato é maior operação de combate à corrupção, atualmente no Brasil e é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima Terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Publicidade

A operação investiga os desvios bilionários que foram responsáveis por rombos gigantescos nos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. A força-tarefa sediada principalmente em Curitiba (PR), já colocou atrás das grades, políticos, empreiteiros e doleiros operadores do mega esquema de distribuição de propinas.

Bolsonaro do PSC do Rio de Janeiro aguarda, de modo cauteloso, o movimento para que se possa escolher um partido para as eleições, que não esteja envolvido em crimes, principalmente no âmbito da Lava-Jato. Segundo o parlamentar, "deverá esperar a tampa da Lava-Jato abrir, para que se possa ver o que restou de partido", em alusão à antecedência de sua saída do PSC. Além disso, outros partidos vêm sondando o deputado conservador, em que se pode destacar, o PRB e o PR. #Eleições 2018 #Lava Jato