O ex-governador do #Rio de Janeiro, Sérgio #cabral, está passando por momentos difíceis no Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio. De acordo com informações de carcereiros, o seu choro é alto, ele berra muito e dá para ouvir seus soluços de longe. Ele está completamente deprimido e vivendo uma fobia extrema dentro de sua pequena cela. O seu choro pode ser ouvido a mais de 50 metros pelos carcereiros e isso chama atenção dos vigias, que se surpreenderam com tanta agonia do ex-governador.

Cabral está preso, desde novembro de 2016, junto com alguns de seus assessores.

Nesta semana, uma informação veio movimentar Bangu. Os advogados do ex-secretário de Obras de Cabral, Hudson Braga, avisou que seu cliente já está pensando em negociar uma delação premiada para poder amenizar a sua pena.

Publicidade
Publicidade

Se isso acontecer, é provável que nomes do alto escalão da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sejam citados.

Desentendimento

No final do ano de 2016, o ex-governador havia tido um desentendimento com seu ex-secretário de Obras, em Bangu. Cabral exigiu dele mais lealdade e que caso a delação fosse feita, que antes eles pudessem conversar, para que as informações fossem passadas sem prejudicar ninguém do grupo e que fossem coordenadas por ele.

Após o bate-boca dos dois, a situação, aos poucos, foi se acalmando.

Morte no Bangu

Na segunda-feira (16), um detento foi encontrado morto no presídio. De acordo com a Secretaria de de Estado de Administração Penitenciária, os agentes foram chamados pelos próprios presos. Eles disseram que Diego Maradona Silva Souza estava passando mal.

Publicidade

Quando os agentes chegaram até a cela do preso, constataram que ele já estava morto. Foi aberta uma sindicância para saber o motivo da morte, que até agora, ainda não tinha sido informada.

O detento que faleceu estava em uma cela com mais cinco presos. Era um local separado das celas dos demais, conhecido como "seguro".

O motivo da morte dele será apurado e esclarecido pelo Instituto Médico Legal (IML). #Prisão