A função dos deputados federais é criar leis que ajudem a melhorar a vida da população em todo o país. Para que uma lei seja aprovada, no entanto, ela precisa passar pelo Senado e pela assinatura do presidente da República, que atualmente é Michel Temer, do PMDB. Mesmo sabendo de toda a dificuldade para se aprovar uma lei e dos problemas do Brasil, o deputado federal Marcelo Aguiar está lutando para conseguir que uma ideia sua vá para frente. Representando o Democratas de São Paulo, ele decidiu entrar na luta contra a masturbação. A informação foi confirmada nesta quarta-feira, 04, pelo jornalista Lauro Jardim, de 'O Globo'.

O deputado quer que as telefônicas e prestadoras de serviço de internet proíbam conteúdos adultos na web brasileira.

Publicidade
Publicidade

Com isso, ele acredita que o número de atos de masturbação diminuirá em todo o território nacional. Além de sites de vídeos de sexo, a relação íntima interativa e a venda de corpos (garotas de programa) também seria vetada. O passo afetaria, é claro, milhões de brasileiros, já que pesquisas indicam que o conteúdo adulto é um dos recordistas nas buscas de sites como o Google.

No argumento de seu projeto, Marcelo Aguiar diz que, atualmente, existem muitos brasileiros viciados na pornografia e no que isso gera, no caso o toque íntimo. Em contato com o jornal 'O Globo', o parlamentar explicou ainda que estudos mostram claramente que não para de crescer o número de viciados em conteúdo adulto e também na masturbação, pois hoje em dia encontrar esse tipo de recurso está muito fácil. Ele ainda argumenta que o fato do acesso à internet, no Brasil, ser prioritariamente feito de celulares e tablets, apenas aumenta esse índice curioso, pois possibilita uma maior privacidade do usuário.

Publicidade

Marcelo diz que o seu projeto de lei é para defender os jovens e até a própria civilização no futuro, pois uma geração de "autossexuais" estaria sendo criada. Caso a lei seja implementada, o deputado federal acredita que prazer o solitário irá diminuir e que o método tradicional voltará a fazer sucesso nos lares brasileiros. #Política