O pai do ministro do Turismo Marx Beltrão e deputado estadual de Alagoas, João Beltrão (PRTB), fez uma declararão que se referia a uma ação realizada pela Polícia que, supostamente, exterminou vários criminosos em Penedo/AL. Nesta última sexta-feira (06), o deputado se pronunciou em um evento que promovia a assinatura para a realização de obras de construção do centro de convenções, obra que será custeada pelo governo federal.

Enquanto a mídia está transmitindo diversas notícias sobre o massacre que aconteceu no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que resultou cerca de 60 mortes, e também a matança em uma penitenciária em Roraima, que resultou em mais 30 mortes, o deputado alagoano foi enfático ao dizer que #Bandidos "têm é que ser tratados na espingarda mesmo", ele avalia que é necessário fazer uma "limpeza" e parabenizou a ação da polícia em Penedo.

Publicidade
Publicidade

O deputado cita que as pessoas querem zelar pela integridade de suas famílias e que buscam conquistar e comprar coisas, como carros, mas os bandidos acabam roubando. Ele diz que "nós trabalhamos, eles não".

No evento, quem também estava presente é governador Renan Filho (PMDB) e o coronel Lima Júnior que é secretário de Segurança Pública de Alagoas. Dados mostram que no primeiro ano de governo de Renan, ele teria conseguido reduzir em 18% as mortes violentas de Alagoas.

Beltrão e assassinatos

O deputado tem em sua ficha investigações por atos criminosos. No ano de 2001, ele foi acusado de mandar matar "Pedrinho Arapiraca", um empresário, Beltrão estaria lhe devendo uma quantia de R$ 54 mil.

Outra acusação contra Beltrão é dele mandar matar um ex-policial militar que não teria cumprido suas ordens de exterminar um adversário político de Beltrão.

Publicidade

O deputado acabou sendo preso em 2008, na operação Ressurgere.

Beltrão também é acusado de mandar matar o bancário Dimas Holanda, o motivo seria que Holanda teria paquerado uma amante do deputado. Todas as acusações são negadas por Beltrão.

No evento, o governador de Alagoas juntamente com o ministro e membros da Segurança Pública do Estado, não aplaudiram as falar do deputado estadual. #Crime #Morte