A defesa do ex-deputado federal #Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também ex-presidente da Câmara dos Deputados, entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando anulação da decisão que cassou o mandato do Eduardo Cunha.

No dia 12 de setembro, os deputados aprovaram por 450 votos a 10, um parecer do Conselho de Ética da Câmara que determinava a cassação de Cunha. Ele foi acusado de ter mentido na CPI da Petrobras, ao ter afirmado que não possuía contas no exterior.

Os advogados também querem a restituição do cargo, até que seja julgado o mérito da ação.

A defesa de Eduardo Cunha já tem um pedido de liberdade enviado ao STF aguardando julgamento, o relator será Teori Zavascki.

Publicidade
Publicidade

Teori já poderia ter levado o pedido para apreciação da 2ª turma da corte durante dezembro, mas optou por levar a plenário. Cármen Lúcia, atual presidente do STF, marcou a análise do processo para o dia 8 de fevereiro

Desde o dia 19 de outubro de 2016, Eduardo Cunha está preso por decisão de Sérgio Moro. Atualmente Cunha se encontra em um presídio do Paraná.

Cunha vem mostrando sinais de abatimento desde sua transferência da carceragem da PF para o presídio Complexo Médico-Penal (CMP) em Pinhais, na região metropolitana. Enquanto esteve em Curitiba, conviveu com Olívio Rodrigues e Luiz Eduardo Soares, dois delatores que atuaram no Setor de Operações Estruturadas, o departamento de propina da Odebrecht. Ambos foram soltos no mesmo dia em que Cunha foi transferido.

O peemedebista estava com ideia de escrever um livro sobre os bastidores do Impeachment, que seria um presente de Natal para seus inimigos políticos, mas o ex-deputado parece ter abandonado a ideia devido a preocupações com o andamento de seus processos, utilizando assim o seu tempo para orientar os seus advogados.

Publicidade

Envolvido com os detalhes da defesa, Cunha chegou a comentar com interlocutores que, embora discorde das decisões do juiz Sérgio Moro e do modo como o magistrado atua no processo, enxerga nele um profissional bem preparado. #Lava Jato #Sergio Moro