Equipes da Força Aérea encontraram o gravador de voz do jato que caiu ontem, matando o juiz da Suprema Corte, Teori Zavascki, e outras quatro pessoas.

De acordo com oficiais da Força Aérea, o gravador de voz, chamado de Cockpit (CVR), estava em boas condições. O equipamento pode ser crucial para determinar o que causou o acidente do avião, uma vez que registra todos os diálogos dos pilotos.

O Centro Brasileiro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) é responsável pela análise do material.

O King Air C90 que caiu ontem não tem um Flight Data Recorder (FDR), comumente conhecido como "caixa preta." Esse dispositivo monitora como os sistemas do avião se comportam durante um voo.

Publicidade
Publicidade

A legislação brasileira não exige FDRs ou CVRs para pequenos jatos privados.

Além da investigação do Cenipa, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão no caso. Eles vão investigar se houve uma intenção deliberada ou se foi mal funcionamento da aeronave que levava Zavascki.

Com a queda do avião, a tendência é de que teorias da conspiração sejam impulsionadas. Especialmente porque uma das vítimas estava supervisionando a maior investigação de corrupção na história brasileira. Francisco Prehn Zavascki, filho do falecido juiz da Suprema Corte, sugeriu durante uma entrevista que seu pai poderia ter sido assassinado.

Muitos apontaram para o fato de que Zavascki estava prestes a validar o maior acordo de súplica no mundo. Um total de 77 ex-executivos da Odebrecht, a maior construtora do Brasil, decidiram contar como o esquema de corrupção controlava o sistema político do país.

Publicidade

Na primeira rodada de declarações, um denunciante implicou o presidente Michel Temer. Ele disse aos investigadores que Temer, pessoalmente, solicitou R$ 10 milhões.

Com a morte de Zavascki, no entanto, não há cronograma para a continuação do processo.O Supremo Tribunal Federal quer reatribuir o caso a outro membro do tribunal o mais rapidamente possível.

A investigação da Força Aérea está na “fase de ação inicial”, etapa em que os militares analisam os destroços. #Teori Zavascki #Investigação Criminal #Política