O advogado Francisco Zavascki, filho do ministro do Supremo Tribunal Federal, #Teori Zavascki, que morreu em um acidente de avião, falou sobre detalhes da última conversa que teve com o pai. Francisco disse que ainda aguarda uma resposta das investigações sobre a morte de seu pai. "Estou bem por fora das investigações realizadas pela Aeronáutica", confessa o advogado. Segundo Francisco é preciso aguardar a conclusão das investigações antes de fazer qualquer crítica. "Por enquanto, me manterei cauteloso", disse ele.

Última conversa

O filho de Teori contou que seu pai estava muito aflito nas vésperas do acidente fatal. Ele comentou detalhes da conversa com o ministro, no caso, as últimas palavras.

Publicidade
Publicidade

"Meu pai estava preocupado em como o Brasil iria reagir daqui pra frente". O que preocupava Teori era as delações dos 77 executivos da Odebrecht que estavam para ser homologadas. O ministro falou para seu filho que a coisa era muito séria e que as delações envolviam figuras de destaque da política brasileira. "Através dessa fala de meu pai, fico um pouco perturbado com as investigações. Quero que seja tudo explicado e apurado. Quero ter certeza que foi mesmo um acidente", disse Francisco.

O advogado disse que o envolvimento do poder brasileiro e de pessoas com grande destaque do Brasil, conforme seu pai falou, pode favorecer ao ódio. Por isso que as investigações devem ser bem claras, pois os trabalhos que estavam para ser concluídos pelo relator da #Lava Jato mexeria com "gente grande".

Entrevista

Numa entrevista ao programa Fantástico da Tv Globo, Francisco Zavascki disse que Teori era muito brincalhão e um amoroso pai, bem diferente daquele ministro que todos viam com seriedade e muito calado.

Publicidade

De acordo com o advogado, o pai recebia muitas ameaças pois ele era o responsável, no Supremo, da maior Operação contra corruptos, a Lava Jato. Essas ameças que ele sofria eram causa de grande preocupação para toda a família.

Teori evitava de falar com a família sobre os seus trabalhos, talvez para evitar que eles fiquem preocupados ou se envolvam com os problemas que ele tinha que resolver. #Justiça