As investigações sobre a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki e outros quatro ocupantes do avião que caiu no litoral de Paraty , no estado do Rio de Janeiro. As circunstâncias da queda do avião ainda causam muitas dúvidas e apreensão. Os desdobramentos das apurações serão realizados em três inquéritos abertos pela Aeronáutica, Ministério Público Federal e Polícia Federal. Teori Zavascki era o relator e responsável por todos os processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, em se tratando de processos que envolvem políticos com foro privilegiado. Já em primeira instância, a condução dos processos da Lava-Jato está sob o comando do juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Publicidade
Publicidade

O #Acidente aéreo que vitimou fatalmente o magistrado da mais alta Corte do país, repercutiu intensamente em todo o Brasil.

Prova substancial

A Força Aérea Brasileira (FAB) localizou um material que estava submerso próximo aos destroços do avião que caiu no litoral de Paraty, no Rio de Janeiro. Foi encontrado um equipamento que funcionava como um gravador de voz. A retirada desse material ocorreu na tarde desta sexta-feira (20). Os dados apresentados no gravador de voz que está em um bom estado, podem, na realidade, coletar gravações dos passageiros e tripulantes que ajudem na identificação das causas da queda do avião. Entretanto, ainda não se sabe se possíveis conversas estejam armazenadas no equipamento. Uma perícia será realizada pela Aeronáutica, para que possa se constatar se o gravador de voz estava ligado durante o trágico voo.

Publicidade

Segundo com a Agência Nacional de Aviação (Anac), o avião apresentava seus certificados de inspeção em dia, estando totalmente regular para a realização das viagens. A tragédia, além de vitimar Teori, também causou a morte do empresário e dono do avião, Carlos Alberto Filgueiras, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk e sua mãe, Maria Hilda Panas. A Força Aérea Brasileira ainda não inofmou se há previsão de que o suposto conteúdo das gravações seja divulgado. #STF #Lava Jato