Das muitas acusações que o deputado Jair Bolsonaro (PSC), acumula, uma delas é ser chamado de #Homofóbico, mas será isso verdade? Fazendo uma breve pesquisa na história política desse homem, percebemos que tudo começou com o tão polemico “#kit-gay”, nome esse dado a uma cartilha que seria entregue nas escolas públicas com assuntos de sexualidade para crianças de 5 a 6 anos de idade. #Jair Bolsonaro foi contra essa cartilha e batalhou junto com a bancada evangélica para que não fosse aprovado na câmara dos deputados.

"Jovens parlamentares, este ano está sendo distribuindo um 'kit gay' que estimula o homossexualismo e a promiscuidade. Temos de trazer esse tema aqui para dentro, votar essa questão, e não deixar que o governo leve esse tema para a garotada", afirmou.

Publicidade
Publicidade

Segundo o próprio deputado Bolsonaro, que desde então começou saber dos boatos que seria contra os homossexuais, tem tentado desmentir negando firmemente todas as vezes que foi questionado sobre o assunto. Sempre repetindo seus argumentos, ele afirma que não tem nada contra qualquer tipo de minoria, desde então uma batalha foi travada por uma minoria (LGBT) contra Jair Bolsonaro e teve como protagonista o deputado Jean Wyllys (PSOL), que chegou até cuspir na pessoa do Bolsonaro no dia da aprovação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, alegando que foi ofendido durante a votação com palavrões por sua opção sexual, acusação essa, negada por Jair Bolsonaro.

Muitos homossexuais nas redes sociais estão defendendo o deputado e explicando que ele não é contra os homossexuais e sim contra a cartilha (kit-gay) que apresenta cenas de sexo homoafetivo, que seria aprovada na câmara.

Publicidade

Já os ativistas (LGBT, FEMINISTAS), acusam o deputado de propagar o ódio aos homossexuais, embora, nenhum documento seja ele por vídeos, fotos ou escritos, tem sido mostrado para provar que isso seja verdade. A popularidade de Jair Bolsonaro cresceu muito depois dessa polêmica, fazendo com que ele seja conhecido por muitos que nem imaginavam sobre a sua existência.