O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em um discurso direcionado na última terça-feira (24) para uma plateia de sindicalistas, na cidade de São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista, Grande SP. O discurso do ex-presidente foi carregado de "ironias" e a utilização de metáforas. #Lula , embora acusado pelo cometimento de vários crimes no âmbito da Operação Lava-Jato, se colocou como pré-candidato à presidência do país. Ele fez várias acusações contra a maior operação de combate à #Corrupção de que se tem notícia no Brasil.

A Lava-Jato é comandada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Publicidade
Publicidade

A operação investiga escândalos de desvios bilionários dos cofres públicos da maior estatal brasileira; a Petrobras. De acordo com as apurações, havia um mega esquema de distribuição de propinas, o que resultou na prisão de vários políticos, como os ex-ministros do governo Lula, José Dirceu e Antonio Palocci, além do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. Também estão presos, representantes das maiores empreiteiras do país, como Marcelo Odebrecht, dono da Construtora que leva o seu sobrenome. Pessoas muito próximas à Lula se encontram presas, como o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto e o amigo do ex-presidente, pecuarista José Carlos Bumlai. O ex-presidente Lula ao se pronunciar para sindicalistas, atacou a Operação Lava-Jato.

'Dedo estrangeiro"

Lula muito próximo de ter que enfrentar uma possível prisão no âmbito da Lava-Jato, por acusações de crimes de corrupção, tráfico de influência, entre outras acusações pelas quais se tornou réu, resolveu se defender criticando a Lava-Jato, ao afirmar que "tem dedo estrangeiro na operação", que segundo ele, "há interesse no pré-sal".

Publicidade

Ao se pronunciar contra a operação de combate à corrupção, o ex-presidente tenta se defender de inúmeras acusações. Ele também criticou o governo do presidente Michel Temer, ao fazer um auto-elogio: "bom era o país governado por Lula, já que aumentamos o salário mínimo, sem aumentar inflação", disse. Entretanto, Lula não explica que seu partido comandou um assalto ao erário publico e que "mensalão" e "petrolão" tiveram raízes nas administrações suas e de Dilma. Também não explicou que Dilma Rousseff, colocada por ele como um mito de "super gerente" foi a responsável por levar o país a três anos de grave recessão econômica que se perdura até hoje. Atualmente uma das "ironias" reside no fato de Lula se candidatar à presidência, muito antes do período eleitoral, como contraponto aos fatos que podem levá-lo iminentemente à prisão. #Lava Jato