#Lula é o único expoente vivo - e muito vivo - do #PT para a disputa da Presidência da República em #2018. Disso ninguém duvida. Mas agora vão ouvir da boca do próprio que ele será candidato. Com o discurso ainda comedido sobre o assunto, uma vez que ainda não há pré-candidatura do PT, Lula está certo de que em 2018 ele será o único em condições (caso não haja impedimento legal) de disputar e vencer a eleição para presidente.

Em discurso de tom ameaçador, Lula falou às lideranças do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) em evento na capital baiana nesta quarta, 11, que, "se necessário, será candidato". Apoiado pelas lideranças, ele é tudo como "candidato permanente" ao cargo de presidente.

Publicidade
Publicidade

O público o interrompeu neste momento com o grito de "Brasil pra frente, Lula presidente".

O ex-presidente ainda afirma que, de Moro a Grampinho (apelido maldoso dado ao prefeito de Salvador, onde ocorreu o evento, ACM Neto), todos querem ser presidente. Mas para isso será necessário derrotá-lo nas urnas. Continua ainda em tom ameaçador exigindo apuração de um possível envolvimento do governo americano no golpe (impeachment) da ex-presidente Dilma Rousseff e no que classifica de perseguição política ao PT. Por fim, garante que o PT não morreu e que vai recuperar a imagem do partido pessoalmente, com uma peregrinação pelo país.

A esperança de Lula é que o STF garanta - mesmo sendo ficha suja - sua participação no pleito de 2018.

Presidente do MST garante Lula como "candidato do povo pobre"

O presidente do MST, João Stédile, afirmou que Lula como presidente é a vontade e voz do povo.

Publicidade

Cita a presença dos militantes no evento como a grande força de Lula para 2018. Por fim, espeta Temer, dizendo que o governo da burguesia não representa nada, muito menos o povo brasileiro. Citou que Temer tem menos de 8% de aprovação.

Presidente do PT afirma que o partido ainda não decidiu sobre o candidato

Rui Falcão afirmou também que o PT ainda não promoveu a prévia para consolidar um candidato, mas vê em Lula a possibilidade de reerguer o partido e garantir melhor resultado nas urnas em 2018, quando também ocorrem eleições para governadores de estado.

O fato é que a pré-candidatura de Lula seria um reforço em sua defesa frente à Lava Jato, que segundo o próprio quer apenas tirá-lo da disputa ao cargo máximo.

Assista partes do discuso