Em um Seminário realizado na Espanha, nesta quarta-feira (25), a ex-presidente #Dilma Rousseff voltou a falar inverdades e algumas bobagens sobre os fatos ocorridos no Brasil. Sem nenhuma prova, Dilma afirmou que a Operação Lava Jato quer inviabilizar empresas brasileiras para beneficiar empresas estrangeiras. "Tudo o que ocorre na Lava Jato, não é gratuito", disse Dilma. De acordo com a ex-presidente, estão usando a corrupção para acabar com as empresas brasileiras. "Eles deveriam punir apenas os executivos corruptos, mas não os partidos e as empresas", disse ela.

Dilma falou bobagens. Se analisarmos todas as investigações da força-tarefa, no caso, os trabalhos do juiz Sérgio Moro e sua equipe, podemos ver que ele quer "exterminar" a corrupção no geral e não apenas punir empresas brasileiras.

Publicidade
Publicidade

O povo já mostrou que apoia o trabalho do juiz. A própria Odebrecht disse que iria ajudar nas investigações, ou seja, a empresa reconheceu o grande erro cometido e tá cheio de políticos envolvidos nos escândalos.

A ex-presidente mostrou também receios de prenderem #Lula e ele não conseguir se candidatar em 2018. A petista quer mostrar para todos que o PT não é corrupto e o problema do Brasil está apenas em alguns executivos de empresas.

Lula na frente?

Dilma revelou no Seminário, que o ex-presidente Lula está em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de voto para à Presidência de 2018. Mas e Marina Silva?. A mais recente pesquisa do Datafolha mostrou que Marina Silva (REDE) é líder em todos os cenários e ganharia de Lula.

Outro detalhe que chama a atenção, é o fato da petista continuar a usar a palavra "golpe" contra o presidente Michel Temer.

Publicidade

Ela disse que Temer é golpista e tem um governo ilegitimo.

A palavra "golpe" já não existe mais entre os petistas. O ex-presidente Lula autorizou o PT a negociar com partidos que apoiam Temer, cargos de direção no comando da Câmara dos Deputados. Sem contar que o governo Temer está cheio de petistas no segundo e terceiro escalões.

Odebrecht

No final do seu discurso, Dilma "pisou mais uma vez no tomate". Ela lamentou a destruição de uma empresa, apenas por ser grande empresa brasileira.

Vamos analisar o caso. A Odebrecht foi a grande responsável por sua própria corrupção. Ninguém obrigou a empresa a ser corrupta, ela quis por si só.

Ao falar da corrupção na Odebrecht, Dilma poderia pelo menos explicar, por que aconselhou Marcelo Odebrecht a não voltar ao Brasil, na época ele estava no México, para evitar que seja preso. Ela quis ajudar um corrupto?