Governo #Lula tirou todas as câmeras de segurança do #Palácio do Planalto em 2009.

De acordo com informações dadas pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional à revista Veja, general Sérgio Etchegoyen, diversos prédios importantes do governo federal estão sem câmeras de segurança - incluindo o Palácio do Planalto, onde o presidente e diversos ministros passam a maior parte do seu dia.

De acordo com o ministro-chefe, o Palácio do Planalto só conta com duas câmeras de segurança, posicionadas do lado de fora do prédio. No interior da construção, não há câmeras de segurança. O Palácio da Alvorada, do Jaburu e a residência do Torto também estão sem câmeras.

Publicidade
Publicidade

Quanto ao Palácio do Planalto, o ministro-chefe afirma que as câmeras de segurança foram retiradas em 2009, no governo Lula. Haviam câmeras em todos os andares até uma reforma que acabou no ano de 2010, mas, mesmo ao fim da mesma, as câmeras não foram reinstaladas.

Etchegoyen afirma também que foi conveniente à época que o palácio ficasse desprotegido, pois dessa forma não há registros a serem revelados nem para a defesa, nem para acusações do Ministério Público. Ele lamenta também que a Justiça tenha requerido imagens que não puderam ser apresentadas justamente pela falta de registros de câmeras no Palácio. Sem o equipamento de segurança, o único registro feito é quando uma pessoa adentra o prédio - porém, a circulação do indivíduo dentro do Palácio não é verificável.

No ano de 2015, alguns equipamentos de segurança foram adquiridos, porém, ainda faltaram as câmeras.

Publicidade

Nesse momento, o governo está licitando um sistema de segurança integrado que aborde todos os palácios. A expectativa é de que até o fim de 2017 todos os prédios contem como um novo equipamento de segurança, incluindo novas câmeras. O valor investido nesse sistema será de cerca de 10 milhões de reais.

O Instituto Lula não declarou motivo para a retirada das câmeras ou porque não foram reinstaladas após o fim da reforma do Palácio do Planalto. A assessoria de Dilma Rousseff afirmou que, devido à complicações envolvendo a adequação dos equipamentos de segurança à novas tecnologias, não foi possível concluir as licitações durante o governo Dilma. #Dilma Rousseff