O ex-senador do Distrito Federal (DF), Valmir Amaral, está tentando recuperar na justiça uma mansão que foi construída em área pública, às margens do Lago Paranoá. O imóvel iria ser leiloado no ano de 2016 por determinação do Tribunal de #Justiça do DF, porém, os advogados de Amaral conseguiram impedir o leilão, alegando que parte do imóvel está no nome do pai do ex-senador, que já faleceu. Diante dessa demora em definir o rumo a ser tomado, os moradores de rua se apropriaram da casa.

O Tribunal de Justiça disse, que nesse semestre, já será feito o leilão, mesmo com os advogados tentando impedir. De acordo com os advogados, a casa não está abandonada e simplesmente foi invadida pelos moradores.

Publicidade
Publicidade

"Os muros que cercam a mansão foram derrubados pela Agência de Fiscalização e isso ajudou a #invasão", afirma a defesa. Segundo declarações dos advogados, a família de Amaral acabou saindo de lá por falta de segurança.

O ex-parlamentar lamentou a invasão na mansão dizendo que a casa pertencia a sua mãezinha de 80 anos, que estava doente. Ele também criticou os muros derrubados, ressaltando que o órgão está desmatando o verde da região do Lago.

Estrutura

A mansão de Amaral possui três campos de futebol, um heliponto e muito conforto. Após a família do ex-senador ter saído do imóvel, tudo virou um grande abandono. A piscina está cheia de água, mas um pouco escura devido a falta de limpeza. A estrutura das paredes estão se deteriorando por falta de cuidados.

A casa já sofreu dois assaltos.

Publicidade

Os bandidos levaram vários objetos, botijão de gás e outros pertences da família, que saiu de lá sem tirar as coisas.

Pessoas desconhecidas pulam na piscina e curtem a mansão que está abandonada. Testemunhas já viram pescadores no antigo deck, onde ficavam estacionados os barcos do empresário.

Defesa

o advogado Luís Coelho disse que a mãe de Amaral, Ana Amância do Amaral, vive na casa de amigos porque ela tem sofrido ameaças de quem invadiu o lote. Coelho ainda disse que a mansão não foi construída em área pública. #Senado Federal