O juiz da Corte Suprema de #Justiça, Teori Zavascki, morreu nesta quinta-feira (19) em um acidente de avião, levantando dúvidas sobre quem assumirá a investigação de dezenas de políticos.

Os socorristas encontraram três corpos nos destroços do pequeno avião de dois propulsores que caiu na costa do estado do Rio de Janeiro em meio a fortes chuvas, segundo os bombeiros.

Zavascki estava examinando testemunhos explosivos de dezenas de executivos do grupo de engenharia Odebrecht, que deveria implicar centenas de políticos no maior caso de corrupção da história do Brasil.

A pequena aeronave transportando Zavascki deixou o aeroporto de São Paulo cerca de uma hora local (1500 GMT) e caiu no mar cerca de 80 minutos depois, perto da cidade de Paraty, que era o destino do avião, de acordo com a aviação civil.

Publicidade
Publicidade

O avião pertencia ao grupo do hoteleiro Emiliano, segundo a autoridade da aviação civil ANAC. Não foram fornecidas informações sobre a identidade dos dois outros corpos recolhidos.

A investigação liderada por Zavascki, envolvendo pelo menos 6,4 bilhões de reais em subornos para contratos com empresas estatais, levou ao encarceramento de dezenas de altos executivos.

O trágico acidente deixou muitas pessoas com teorias de conspiração, como disse Marcel van Hattem em seu Facebook.

"Não sou adepto de teorias da conspiração e estou acompanhando e aguardando o resultado de todas as investigações sobre as circunstâncias do acidente para formar uma convicção a respeito de suas causas. No entanto, a enorme coincidência de a morte ocorrer às vésperas de Zavascki homologar as delações da Lava Jato e o fato de a substituição de relator aposentado ou falecido, a princípio, depender da indicação de um novo ministro do STF pelo presidente Michel Temer (que também tem sido mencionado em delações), deve deixar a todos os brasileiros ainda mais atentos daqui para a frente.

Publicidade

A pressão deve ser total para garantir que quem roubou esta nação seja julgado, o mais rápido possível possibilitado o direito de defesa, por juízes independentes e, se condenados, que sejam exemplarmente punidos. Este é o maior tributo que os brasileiros poderão fazer em homenagem à memória de Teori e em tributo ao Estado de Direito", disse Marcel van Hattem, Deputado Estadual (PP-RS). #Política