A jornalista Cláudia Cruz, esposa do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, sofreu um grave #Acidente, na manhã desta terça-feira (10), em Copacabana, Rio de Janeiro. Ela quebrou uma das pernas ao cair de bicicleta. Socorrida, ela foi levada para o hospital Barra D'Or e depois transferida para o Copa Star, onde será operada, nesta tarde.

Cláudia é uma das investigadas na Operação #Lava Jato, acusada de ocultar propina recebida pelo marido. Além disso, a jornalista também é acusada de omitir uma conta no exterior, aberta por ela mesmo, que transformava dinheiro público em sapatos e roupas caríssimas.

Em junho, do ano de 2016, o juiz federal Sérgio Moro aceitou a denúncia que os procuradores do Ministério Público Federal fizeram contra ela.

Publicidade
Publicidade

Na denúncia, ela é envolvida em esquema criminoso ligado à Petrobrás. Diante disso, ela passou a condição de ré.

Pesadelo

A vida de Cláudia Cruz tem se tornado um grande pesadelo para ela, nos últimos meses. Acostumada com uma vida de muito luxo e lazer, a mulher do ex-deputado, #Eduardo Cunha, teve uma reviravolta no seu dia a dia. Com as operações policiais em andamento, Cruz vive um grande pesadelo de ser presa a qualquer momento.

Mesmo assim, ela não teve uma grande recaída no seu "look". para se ter uma ideia, quando ela foi dar declarações para o juiz Sérgio Moro, ela estava usando brincos de diamantes negros, uma pedra mais cara que a outra.

Investigações

O dinheiro gasto pela mulher de Eduardo Cunha chega a ultrapassar R$ 3,5 milhões e todo esse dinheiro foi desviado da Petrobrás.

Publicidade

Claudia, mesmo com a Lava Jato batendo às suas portas, continua postando fotos com roupas caras e fazendo viagens a lugares paradisíacos. Nas redes sociais, ela sempre coloca fotos, usando roupas de grifes famosas, como por exemplo, Chanel e Louis Vuitton.

De acordo com a especialista em modas, Karla Beatriz, 35, geralmente, as mulheres dos políticos querem usar roupas que descolem da imagem de ostentação que fizeram junto com seus maridos. "Elas não querem ser vinculadas aos crimes cometidos por eles", afirma a especialista.