O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado decidiu promover um protesto contra o novo presidente dos EUA, no dia 20 de janeiro, mesmo dia em que #Trump se tornará oficialmente o presidente dos EUA.

Destaca-se que o evento ocorrerá no Brasil, a finalidade é estimular brasileiros a irem às ruas e declararem "Não a Trump", o principal objetivo do evento é despertar em brasileiros a vontade de lutar contra as ideias do futuro presidente que reside nos EUA.

O partido citado acredita que o evento trará grandes impactos no mundo, pois afirmam que a luta é para derrubar o "imperialismo estadunidense", pensam fielmente que haverá mudança na política americana com a promoção do protesto.

Publicidade
Publicidade

Percebe-se que alguns brasileiros apoiam o ato, enquanto outros são declaradamente contra, por acreditarem que o evento é desnecessário, haja vista que ocorrerá no Brasil sendo promovido por pessoas que não apresentam ligação com os EUA, uma outra parcela da população brasileira não concorda com o protesto por acreditar que o Partido deveria se preocupar com os problemas internos do Brasil.

PSTU não apoia Trump

O PSTU tem declarado em seu site que não apoia o governo Trump, redigindo textos de críticas que confirmam o quanto querem ser "oposição" ao futuro presidente. A ideia central do evento é lutar contra um governo que acreditam ser "mau", pois pensam que é uma ameaça internacional para todos os trabalhadores do mundo, além de considerarem uma grande ameaça ao planeta.

O ato almeja colaborar com movimentos sociais estadunidenses, que desde a eleição presidencial nos Estados Unidos da América têm formado uma oposição ativa contra o governo vencedor.

Publicidade

Diante dos fatos narrados, o PSTU resolveu se declarar como oposição ao que classifica como governo de extrema direita mais reacionário que poderia existir, sendo necessário, segundo o partido, um protesto com teor internacional, que procurará acabar com o "imperialismo dos EUA".

De qualquer forma, com ou sem protestos, Trump será o novo presidente dos EUA, quer a oposição concorde ou não, é fato incontestável que no dia 20 de Janeiro ele virará o líder dos norte-americanos. #2017