A #Crise no sistema penitenciário do País suscitou críticas por parte de ex-ministros petistas da Justiça. José Eduardo Cardozo e Eugênio Aragão, que foram ministros do #Governo da ex-presidente Dilma Rousseff, além de juristas, entidades estudantis e a deputada petista Maria do Rosário, que assinaram uma carta aberta em que solicitam a renúncia do ministro da Justiça do governo Michel Temer, Alexandre de Moraes. Dentre os signatários da carta aberta do Largo São Francisco, da USP, está também o ex-governador petista do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. Segundo os signatários da carta, "Moraes faz declarações populistas recorrentes e irresponsáveis", segundo o texto.

Publicidade
Publicidade

Os petistas ainda afirmam que "Moraes é incompetente para o cargo que ocupa". Entretanto, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, rebateu firmemente as alegações dos ex-ministros petistas.

Ministro reage à carta

De acordo com Moraes; "o PT esconde toda a sua incompetência, principalmente, em relação à gestão da segurança pública no País e a gestão do sistema penitenciário, já que os petistas ficaram 13 anos no poder e não resolveram o problema", ressaltou enfaticamente Moares. O ministro ainda afirmou, quase ironicamente, que é "totalmente lamentável que pessoas que durante o período dos governos petistas, as opções eram desastradas, já que havia ineficiência na gestão e péssimo uso do dinheiro público". Moraes lembrou ainda que "o mau uso do dinheiro público foi responsável pela criação de condições inteiramente negativas que resultaram na grave crise aguda que hoje assola o País", concluiu.

Publicidade

As palavras do ministro Alexandre de Moraes enfatizam uma resposta forte às críticas que vêm sofrendo, já que o Brasil sofre com uma grave crise no sistema penitenciário que acabou acarretando brigas entre facções rivais, resultando em mais de cem mortes, principalmente em penitenciárias de Manaus, capital do Amazonas e em Boa Vista, capital de Roraima. O ministro da Justiça do governo Temer, fez ainda uma comparação entre o momento atual e o período em que o País era governado pelo PT. Segundo Moraes, faltou ação na gestão da administração petista: "Se falassem menos e trabalhassem mais, o Brasil não se encontraria na situação que está hoje", assinalou Moraes, de modo contundente. #Michel Temer